Pular para o menu

Após reajuste de 11,28%, teto do seguro desemprego sobe para R$ 1.542

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora

As parcelas do seguro-desemprego foram reajustadas em 11,28% e o teto mensal do beneficio passou a ser de R$ 1.542,24. Antes, o máximo mensal era de R$ 1.385,91. O valor da parcela que cada segurado recebe depende do salário que tinha antes da demissão. As informações são da Agência Brasil.

O reajuste segue a alta de 11,28% de benefícios do INSS acima do salário mínimo. Ela foi divulgada pelo Ministério do Trabalho e da Previdência Social através de portaria.

Imagem para destaque: 
destaque
Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
Publicar no destaque principal
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

Benefícios do INSS acima do salário mínimo são reajustados em 11,28%

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora
Chapéu: 
Aposentados
Chamada: 
Reajuste é para benefícios superiores a 880 reais, e o teto do benefício ficou em R$ 5.189,82

Os benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) foram reajustados em 11,28%, de acordo com portaria dos ministérios do Trabalho e Previdência Social e da Fazenda, publicada na edição de hoje (11) do Diário Oficial da União. O reajuste, válido a partir deste mês, é para benefícios superiores ao salário mínimo (R$ 880).

Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
off
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

Esclarecimento sobre desconto do benefício INSS recebido em duplicidade

Publicar no Na Hora: 
off
Chapéu: 
Petros
Chamada: 
Tema fará parte da pauta do Encontro do Conselho de Aposentados e Pensionistas - CNAP

A Petros informou que a partir de agosto iniciará a cobrança do benefício do INSS que foi recebido em duplicidade pelos aposentados e pensionistas em março do ano passado. O valor será descontado mensalmente em seis parcelas cujo valor fixo, por cobrança da FUP, não poderá ultrapassar a margem consignável. Ao contrário do que a Petros tem informado, o desconto desse valor devido pelos assistidos não foi negociado com os sindicatos. O que exigido pela FUP é que a Petros respeite a margem consignável dos aposentados e pensionistas.

Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
off
Publicar no destaque secundário: 
Publicar no destaque secundário
Compartilhar:

INSS assina convênio com a Petros, sem participação da Petrobrás

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora

O Diário Oficial da União publicou nesta quarta-feira, 03, a íntegra do convênio que a Petros assinou com o INSS para requerimento e pagamento dos benefícios da Previdência Social referentes aos beneficiários dos planos de previdência complementar administrados pela Fundação. O contrato foi assinado na terça-feira, 02, com validade de cinco anos, mas não tem participação da Petrobrás, como previa o convênio antigo que foi suspenso no início do ano.

Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
off
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

Categoria quer imediato restabelecimento do Convênio com INSS

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora
Chapéu: 
Planos PETROS I e II
Chamada: 
Aposentados e pensionistas vão se juntar aos trabalhadores da ativa para cobrar manutenção de direitos

Cobrar da direção da Petrobrás o imediato restabelecimento do Convênio da Companhia/PETROS com o INSS. Esta foi a principal decisão da reunião promovida pelo SINDIPETRO-RN, com aposentados, pensionistas e demais beneficiários dos Planos PETROS I e II. O encontro foi realizado na última quinta-feira, 21 de março, no auditório do Sindicato dos Policiais Civis, em Natal.

Imagem para destaque: 
destaque
Crédito da imagem: 
Christian Vasconcelos
Publicar no destaque principal: 
Publicar no destaque principal
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

Convênio foi suspenso porque Petrobrás não presta contas

Publicar no Na Hora: 
off
Chapéu: 
Petrobrás/Petros
Chamada: 
Informação foi obtida pela FUP, em reunião com staff da Previdência, realizada nesta terça-feira, 26

O Coordenador Geral do SINDIPETRO-RN, José Araújo, e o diretor de Política Sindical e Relações Institucionais, Divanilton Pereira, estiveram em reunião, em Brasília, juntamente com membros da FUP, para cobrar o restabelecimento do convênio do INSS com a Petrobrás/Petros, que foi recentemente suspenso pelo Instituto. O encontro aconteceu na última terça-feira, e contou com a participação de todo o staff da Previdência Social, incluindo o ministro Garibaldi Alves Filho e o presidente do INSS, Lindolfo Sales.

Imagem para destaque: 
destaque
Crédito da imagem: 
FUP
Publicar no destaque principal: 
Publicar no destaque principal
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

INSS encerra convênio com Petrobrás e pega todos de surpresa

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora
Chapéu: 
PETROS
Chamada: 
Empresa e assistidos pelos planos, Petros e Petros-2, receberam comunicado informando que o prazo não seria prorrogado

*Nota do Setor de Relacionamento com Participantes

No último dia 30 de janeiro a Petrobras foi comunicada por um ofício do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) que o convênio da companhia com o órgão seria encerrado a partir da data de 31. A decisão surpreendeu a Petrobras e a própria Petros, pois em dezembro o órgão havia aceitado o pedido de prorrogação do convênio, solicitado pela patrocinadora, decisão também formalizada mediante um ofício.

Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
off
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

INSS ameaça acabar Convênio com a Petrobras e FUP pede explicação

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora
Chapéu: 
Reunião
Chamada: 
Essa notícia tornou-se pública durante a reunião ordinária do Conselho Deliberativo - CD da Petros, realizada dia 31/10

A informação de que o INSS poderá suspender o convênio com a Petrobrás a partir de fevereiro\2013 levou a direção da FUP a fazer reunião de urgência na última quinta (1º) com a direção da Petros; Essa ameaça foi tornada pública durante a reunião ordinária do Conselho Deliberativo - CD da Petros, realizada na quarta (31).

Imagem para destaque: 
destaque
Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
Publicar no destaque principal
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

Aposentadoria acima do mínimo é corrigida em 6,08%; teto do INSS também

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora

O governo reajustou em 6,08% as aposentadorias e pensões com valor acima de um salário mínimo. O aumento é equivalente à variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) em 2011. Com isso, o teto dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) subirá de R$ 3.869,66 para R$ 3.916,20 neste mês.

Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
off
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

No Senado, sindicalistas defendem garantias ao INSS e redução da jornada

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora

Debate durante audiência pública no Senado incluiu preocupações com as contas da Previdência Social diante de possível desoneração da folha de pagamento

Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
off
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:
Divulgar conteúdo