Pular para o menu

Venezuela defende na OIT lei que reduz jornada e proíbe terceirizações

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora
Chapéu: 
Direitos Trabalhistas
Chamada: 
Legislação que fortalece direitos dos trabalhadores venezuelanos entrará em vigor em 2015

Presente na 18ª reunião regional da Organização Internacional do Trabalho, o vice-ministro de Direitos e Relações do Trabalho da Venezuela, Elio Colmenares, afirmou que nova legislação entrará em vigor em 2015 para “fortalecer direitos”. “Defendemos a progressividade e a intangibilidade dos direitos sociais.

Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
off
Publicar no destaque secundário: 
Publicar no destaque secundário
Compartilhar:

No Senado, sindicalistas defendem garantias ao INSS e redução da jornada

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora

Debate durante audiência pública no Senado incluiu preocupações com as contas da Previdência Social diante de possível desoneração da folha de pagamento

Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
off
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

Redução da jornada: centrais fazem corpo-a-corpo com deputados

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora

Os sindicalistas encheram as dependências da Câmara, nesta terça-feira (14), dia de maior movimentação na Casa, para intensificar a campanha pela redução da jornada de trabalho. Eles distribuíram panfleto aos parlamentares mostrando "a importância e os benefícios da redução da jornada de trabalho sem redução de salários" e cobram "empenho" de cada parlamentar para aprovação do projeto.

Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
off
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

Redução da jornada com redução de encargos

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora

Antes da reunião da presidenta Dilma Rousseff com as centrais sindicais, na sexta-feira, o senador Paulo Paim (PT-RS) defendeu em plenário a desoneração da folha de pagamentos das empresas, que é muito bem recebida pelos empregadores, mas não é vista com bons olhos pelos sindicatos dos trabalhadores; e a diminuição da jornada de trabalho de 44 horas semanais para 40 horas, que é uma reivindicação das centrais sindicais, mas não é bem aceita pelo empresariado.

Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
off
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:
Divulgar conteúdo