Pular para o menu

Senado

Trabalhadores pressionam e Senado retira requerimento de urgência para entrega da Cessão Onerosa

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora

Surtiu efeito a pressão que a FUP e seus sindicatos fizeram no Senado federal, em esforço coletivo com os eletricitários, para impedir que fossem colocados em regime de urgência os Projetos de Lei Complementar que liberam a venda das distribuidoras da Eletrobrás e de 70% dos c

Imagem para destaque: 
destaque
Crédito da imagem: 
FUP
Publicar no destaque principal: 
Publicar no destaque principal
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

Brigada petroleira pressiona e Senado tira da pauta projeto que entrega a cessão onerosa

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora
Chapéu: 
Soberania

A FUP e seus sindicatos realizam mais uma força tarefa esta semana em Brasília para impedir a votação no Senado do Projeto de Lei 8.939/17, que autoriza a Petrobrás a abrir mão de 70% dos cinco bilhões de barris de petróleo da Cessão Onerosa do Pré-Sal. De autoria do deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA), o projeto já foi aprovado a toque de caixa na Câmara e está novamente sofrendo pressão do governo Temer e das petrolíferas estrangeiras para ser votado em regime de urgência também no Senado.

Imagem para destaque: 
destaque
Crédito da imagem: 
FUP
Publicar no destaque principal: 
Publicar no destaque principal
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

Câmara aprova venda de 70% das reservas da Petrobrás na Cessão Onerosa. Projeto segue para o Senado

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora

Em mais um crime de lesa pátria, os deputados aprovaram na noite desta quarta-feira, 20, o Projeto de Lei 8939/17, que autoriza a Petrobrás a abrir mão de 70% dos cinco bilhões de barris de petróleo da Cessão Onerosa do Pré-Sal. De autoria do deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), o texto seguirá para o Senado, onde os petroleiros intensificarão a luta para impedir que essa entrega seja consumada. Foram 217 votos a favor do projeto, 57 contrários e quatro abstenções.

Imagem para destaque: 
destaque
Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
Publicar no destaque principal
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

Terceirização de Temer foi aprovada no Senado por 29 que já morreram

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora

O assassinato da Consolidação das Leis do Trabalho e de direitos trabalhistas como férias, décimo-terceiro e FGTS, é obra de Michel Temer e de um Senado em que 29 parlamentares já morreram.

Isso porque a Câmara decidiu retomar um projeto que havia sido aprovado em 1988 no Senado, mas estava engavetado.

Na lista, constam nomes como Romeu Tuma, Pedro Piva, Antônio Carlos Magalhães, Artur da Távola e Humberto Lucena.

Imagem para destaque: 
destaque
Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
Publicar no destaque principal
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

Projetos do Senado destroem representação dos trabalhadores

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora
Chapéu: 
Fundos de Pensão
Chamada: 
Além de eliminar eleição de diretores, proposta reduz representação nos Conselhos

Os projetos de lei 388/2015 e 78/2015, aprovados recentemente no Senado Federal, de autoria dos senadores Paulo Bauer (PSDB-SC) e Valdir Raupp (PMDB-RO), respectivamente, eliminam a eleição de diretores para os fundos de pensão patrocinados por empresas e órgãos públicos e reduzem a um terço a representação dos participantes no Conselho Deliberativo e no Conselho Fiscal. Os projetos foram relatados em conjunto pelo Senador Aécio Neves (PSDB-MG), que piorou as propostas originais e atacou ainda mais a representação dos participantes.

Imagem para destaque: 
destaque
Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
off
Publicar no destaque secundário: 
Publicar no destaque secundário
Compartilhar:

PLS 555 volta à pauta do Senado e coloca em risco a Petrobrás

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora

O Senado pode votar na quarta-feira (03) um projeto de lei que significará a privatização e desmonte do Estado brasileiro, em todas as instâncias: federal, estadual e municipal. Estamos falando do PLS 555, que altera os estatutos de empresas públicas e de economia mista para que passem a atuar como sociedades anônimas, "inclusive as que exploram atividade econômica em sentido estrito, as que prestam serviços públicos e as que exploram atividade econômica sujeita ao regime de monopólio da União", como ressalta o artigo número 01 do projeto.

Imagem para destaque: 
destaque
Crédito da imagem: 
Arquivo
Publicar no destaque principal: 
Publicar no destaque principal
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

Câmara e senado iniciam atividades de 2016 com pacote de maldades

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora

Deputados federais e senadores retomam os trabalhos em fevereiro, logo após o Carnaval, e terão na agenda um pacote com ao menos 10 projetos muito polêmicos. A lista faz de 2016 um ano essencial na atuação dos movimentos sindical e sociais em defesa da democracia, da manutenção de direitos e contra o conservadorismo.

O primeiro passo será uma manifestação marcada para março, em que os movimentos marcharão em Brasília para pressionar os parlamentares contra qualquer tidpo de retrocesso.

Imagem para destaque: 
destaque
Crédito da imagem: 
FUP
Publicar no destaque principal: 
Publicar no destaque principal
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

Retirada do PL 131 da pauta no Senado é fruto de luta dos petroleiros

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora

Após três meses de pressão cerrada no Congresso Nacional, atos em aeroportos, diversas manifestações  e uma greve de 24 horas, os petroleiros conseguiram retirar da pauta do Plenário do Senado o Projeto de Lei 131, que José Serra (PSDB/SP) de tudo fez para colocar em votação. O projeto agora terá que cumprir a tramitação regimental da Casa, onde será debatido nas Comissões.

Imagem para destaque: 
destaque
Crédito da imagem: 
FUP
Publicar no destaque principal: 
off
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

Presidente do Senado barra acesso da FUP e interfere na Comissão Especial do PLS 131

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora
Chapéu: 
Entreguistas não passarão!
Chamada: 
Renan mexeu na composição que já havia sido acordada entre os partidos, alterando a correlação de forças

Em suas manobras para favorecer os setores que apoiam mudanças nas regras do pré-sal, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB/AL), tem ultrapassado todos os limites do cargo que ocupa e atropelado reiteradamente o processo democrático. Nesta quarta-feira, 12, durante a instalação da Comissão Especial que tratará do PLS 131, Renan mexeu na composição que já havia sido acordada entre os partidos, alterando a correlação de forças na comissão, cuja maioria dos integrantes era contrária ao projeto.

Imagem para destaque: 
destaque
Crédito da imagem: 
FUP
Publicar no destaque principal: 
Publicar no destaque principal
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:

Senado não chega a acordo sobre urgência em projeto que tira Petrobras do pré-sal

Publicar no Na Hora: 
Publicar no Na Hora
Chapéu: 
Impasse

Em dia de protestos contra alteração no regime de exploração do petróleo, ganha força entre os parlamentares de vários partidos ideia de criação de nova comissão especial para debater melhor o tema

Imagem para destaque: 
destaque
Crédito da imagem: 
RBA
Publicar no destaque principal: 
Publicar no destaque principal
Publicar no destaque secundário: 
off
Compartilhar:
Divulgar conteúdo