Pular para o menu
1300980045
San Antonio

Assembléias aprovam suspensão da greve mediante compromissos

Empresa concorda em melhorar condições da alimentação e rever situação de trabalhadores

24 de março de 2011 às 12:20

Em assembléias realizadas no dia 23 de março, em Mossoró e no Alto do Rodrigues, os trabalhadores da San Antonio (Prest/Sotep) decidiram, por unanimidade, retornar ao trabalho, suspendendo uma greve que já durava cinco dias. O movimento reivindicava condições dignas de trabalho, segurança e cumprimento de direitos e obrigações trabalhistas. A resolução foi tomada após análise do conjunto de propostas apresentadas pela empresa na última terça-feira.

O acordo aprovado, que permitiu a suspensão do movimento, assegura a formação de uma comissão, composta de membros do Sindicato, da direção a empresa e de trabalhadores representantes das sondas que operam em Alto do Rodrigues, Felipe Guerra e Mossoró, com o objetivo de elaborarem um cardápio e planejarem um sistema de distribuição com vistas a assegurar alimentação em quantidade e qualidade.

Com relação aos ajudantes, a área de logística da empresa deverá revisar a atual equipe de apoio para as descargas, composta de 13 pessoas. De imediato, ficou decidido que esses trabalhadores farão os descarregamentos de tubos, que são considerados críticos. No dia 24 de março, a logística deverá realizar uma reunião técnica, com participação de representantes do Sindicato, motoristas e encarregados, para definir melhor o procedimento para as sondas.

Já, com relação aos motoristas, a empresa manifesta entendimento diferente daquele que é defendido pelo Sindicato. Para a entidade, a San Antonio está cometendo um erro na jornada dos motoristas e, consequentemente, no cálculo e pagamento das horas extras. Visando solucionar o impasse, a empresa deverá reavaliar sua política, e as partes voltarão a se reunir para tratar do assunto, na reunião que deverá ser realizada em 24 de março.

Outros pontos acordados dizem respeito ao compromisso da empresa de não retaliar s trabalhadores participantes do movimento; de não efetuar quaisquer descontos em razão dos dias parados; e de ouvir os trabalhadores vítimas e testemunhas de um possível caso de abuso de autoridade, praticado por um supervisor, tomando as providências cabíveis.

Para discutir outras questões, tais como, implantação de PCSO, interinidade, férias, homologações e pontos constantes do ACT 2010/2011, dentro de dez dias será acertada uma agenda de reuniões conjuntas.

Compartilhar: