Pular para o menu
1366125018

Audiência pública e ato marcam dia de luta pelo retorno dos investimentos da Petrobras

16 de abril de 2013 às 12:10

Publicado em 12 de Abril de 2013

Autoridades políticas, sindicais e empresariais participam hoje de uma audiência pública, na Câmara Municipal de Mossoró (CMM), para discutir a retirada de investimentos da Petrobras na cadeia produtiva de petróleo e gás em Mossoró e região. O objetivo é identificar causas, dimensionar efeitos e propor alternativas de enfrentamento para o problema do desemprego no setor petrolífero do Rio Grande do Norte.
A proposta da audiência pública partiu do vereador Genivan Vale (PR), que foi procurado pelos sindicatos e classe empresarial. "A audiência foi articulada por esses segmentos. Nós nos preocupamos com essa questão porque a cadeia produtiva do petróleo e gás está entre as cinco principais de Mossoró. Esse problema já está atingindo outras cadeias produtivas importantes como a construção civil e imobiliária. É do nosso interesse tudo que impulsiona o desenvolvimento e o progresso da cidade", destaca o vereador.

Segundo Genivan Vale, foram convidados para participar da audiência pública: Petrobras, representantes da bancada federal, bancada estadual, prefeituras de Mossoró e região, vereadores, sindicatos e classe empresarial. "Nosso objetivo é que com as gestões possa haver uma mudança de mentalidade da Petrobras", explica o vereador.

O assessor do Sindicato dos Petroleiros do Rio Grande do Norte (Sindipetro/RN), Aldeirton Pereira, explica que a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) está articulada para sensibilizar a sociedade para entrar na luta pelo retorno dos investimentos da Petrobras em Mossoró e região. "A sociedade precisa entender que essa não é uma luta somente da categoria, mas sim de todos. Todos os setores são atingidos por essa retração", afirma o diretor estadual da CTB.

Além da audiência pública, outra atividade também acontece hoje pelo retorno dos investimentos da Petrobras. O Sindipetro convocou outros sindicatos, além da classe empresarial e política da cidade, para um ato público, às 8h, em frente à base da Petrobras. "A crise está se aprofundando cada dia revelada nas demissões que aumentam constantemente. Ainda existe petróleo para ser explorado, mas a Petrobras está preferindo investir no pré-sal", conclui Aldeirton Pereira.
Jornal O Mossoroense
Compartilhar: