Pular para o menu
1313156940

Banco Mundial: América superará turbulência global e crescerá 4%

12 de agosto de 2011 às 10:49

Banco Mundial confiante nas economias da América Latina face à crise. A instituição, confia na resiliência e prevê crescimento de 4% para a região. Pobres da região são atendidos por fortes redes de proteção social, segundo a instituição.

Nesta semana, o mercados de ações latino-americanos oscilaram face à incerteza mundial. Os índices principais caíram em cerca 8 %, e logo em seguida subiram em 5 %.

O Banco Mundial declarou que as economias da América Latina, desenvolveram fortes sistemas imunológicos contra o contágio da crise global e estão resistentes.

Em relatório, o economista da organização para a América Latina e o Caribe, Augusto de la Torre, alertou que o agravamento da turbulência do mercado atual pode colocar à prova, as defesas da região.

China
A desaceleração da economia dos Estados Unidos pode ter um impacto nos parceiros comerciais, incluindo o México, Caribe e América Central.

Os países da América do Sul, que mantem relações comerciais com a China, poderão sofrer menos, caso o país asiático continue com a tendência de crescimento.

Mercado de ações
Nesta semana, os mercados de ações latino-americanos oscilaram face à incerteza mundial. Os índices principais caíram em cerca 8 %, e logo em seguida subiram em 5 %.

Estimativas mais recentes do Banco Mundial sugerem uma taxa de crescimento anual de cerca de 4% para a maioria das economias da região, com exceção do Caribe.

Proteger os pobres e vulneráveis
Conscientes dos potenciais efeitos devastadores das crises econômicas sobre os pobres, de la Torre observou que na última década, 60 milhões de latino-americanos saíram da pobreza graças a fortes redes de proteção social criado pela maioria dos países da região.

Os especialistas atribuem a turbulência no mercado mundial a uma perda de confiança dos investidores após o rebaixamento do rating de crédito dos EUA e os problemas financeiros da Europa.

Fonte: ONU

Compartilhar: