Pular para o menu
1396637408
Retratação

Câmara restitui mandatos de Djalma Maranhão e Luiz Gonzaga

Iniciativa foi do vereador George Câmara que também é diretor licenciado do SINDIPETRO-RN

04 de abril de 2014 às 15:50

destaque

Foto: Graziella Sousa

A Câmara Municipal de Natal realizou nesta quinta-feira (03) uma sessão solene com importância histórica relevante para a capital potiguar e o Brasil. Por proposição do vereador George Câmara (PCdoB), a CMN realizou a devolução, de forma simbólica, In Memoriam, dos mandatos do prefeito Djalma Maranhão e vice-prefeito Luís Gonzaga dos Santos, que tiveram seus mandatos cassados em 1964, por ocasião do golpe da Ditadura Militar brasileira. A sessão foi presidida pelo vereador Albert Dickson (PROS).

“É dever nosso reconhecer esse triste erro, ainda que simbolicamente reparando esse ato de arbitrariedade, quando essas duas pessoas faziam políticas públicas que representavam o povo natalense. É dever de justiça desta casa reestabelecer os mandatos daqueles que injusta e ilegalmente foram perseguidos pela ditadura”, ressaltou o vereador propositor.

A filha do ex-prefeito Djalma Maranhão, Ana Maria Maranhão Fagundes, participou da solenidade e emocionada entregou uma carta escrita por seu pai, por ocasião de seu exílio em Montevidéu, em julho de 1965. “Represento aqui a família Maranhão em um dia histórico quando o povo remedia uma grande injustiça. Meu pai foi o mais amado e querido prefeito que essa cidade já teve e que morreu longe de sua terra e sua gente”, disse.

Em um de seus últimos comunicados ao Brasil, o ex-prefeito Djalma Maranhão disse: "Toda cidade do Natal é testemunho do meu trabalho e devotamento. Meu crime maior foi alfabetizar 25 mil crianças na pioneira campanha de Pé no Chão Também Se Aprende a Ler, reconhecida pela UNESCO dando ao povo acesso às fontes do saber".

Ao final da sessão, foram entregues placas pela retratação simbólica em que a Câmara reconhece como atos antidemocráticos e injustos os ocorridos na época da ditadura militar e anula decisão da mesa diretora da Câmara Municipal de Natal de 3 de abril de 1964, que aprovou as cassações, fazendo uma retratação histórica.

Também participaram do evento Wilma de Faria, vice-prefeita de Natal, a deputada federal Fátima Bezerra, Horácio Paiva, presidente da Comissão Municipal da Verdade, Antônio Capistrano, presidente do Comitê Estadual da Verdade, Geraldo dos Santos Queiroz, que possui laços de parentesco com Luís Gonzaga, secretária municipal de Educação Justina Iva, além dos vereadores Rafael Mota (PROS), Hugo manso (PT), Amanda Gurgel (PSTU), Ary Gomes (PP) e Dagô (DEM).

"Lembro aqui os milhares de jovens que na época se engajavam nos sonhos pela justiça social e ações de democracia e independência neste pais e que de súbito viram paralisados esses ideais durante o golpe de 64. Essa casa está de parabéns por essa resolução que anula a cassação dos mandatos e os devolve simbolicamente numa clara demonstração de resgate histórico e da justiça", afirmou Horácio Paiva, presidente da Comissão Municipal da Verdade.               
“Não tem ditadura que apague a memória do povo. Na época do golpe eu tinha 17 anos mas já era militante com essa turma que luta a por um Brasil diferente e via no governo Maranhão alguém que se preocupava e era comprometido com seu povo. A verdade está com o tempo e não com as autoridades”, destacou Antônio Capistrano, presidente do Comitê Estadual da Verdade.

Resgate histórico

Djalma Maranhão e Luiz Gonzaga foram eleitos prefeito e vice-prefeito no início da década de 60. Na época, a campanha “De Pé No Chão Também Se Aprende a Ler” foi um dos marcos de seu governo (referência em programa de alfabetização). Em 1961, após a posse de Djalma, Natal tinha 160 mil pessoas e 60 mil analfabetos (38% da população). O programa fez salas de chão batido e palha de coqueiro para alfabetizar natalenses e esse quadro reduziu consideravelmente. Em 1964 eles tiveram os mandatos de prefeito e vice-prefeito cassados pela ditadura militar. Eles foram acusados pelo Exército brasileiro de serem comunistas e por isso estavam impedidos de exercer suas funções. A Câmara Municipal de Natal votou pelo impeachment dos dois quando estes já estavam presos.

Fonte: Câmara Municipal de Natal (http://www.cmnat.rn.gov.br/) com títulos da Redação.

Disponível em...

(http://www.cmnat.rn.gov.br/noticias/2789/cmn-devolve-mandatos-de-djalma-maranhao-e-luis-gonzaga)

Compartilhar: