Pular para o menu
1377953121
Dia Nacional de Lutas

Carreteiros discutem conjuntura política nacional e PL 4330

Debate ocorreu durante a mobilização que paralisou as atividades no Polo Industrial de Guamaré

31 de agosto de 2013 às 09:45

destaque

Foto: Graziella Souza

Com o propósito de explicar as razões do Dia Nacional de Luta e Paralisações, a diretoria do SINDIPETRO-RN promoveu um debate com os carreteiros responsáveis pelo transporte de combustível no Polo Industrial de Guamaré. A atividade foi realizada durante a paralisação, no final da tarde da última sexta-feira, 30, abordando a conjuntura política nacional, a gestão da Petrobrás e as principais reivindicações constantes da pauta unitária da classe trabalhadora.

Ao analisar a conjuntura, os trabalhadores reconhecem a existência de um governo progressista à frente do Executivo. No entanto, também identificam limitações, decorrentes, em grande parte, de um congresso dominado pelas forças conservadoras e de direita, as quais continuam defendendo concepções e políticas de caráter antipopular, a exemplo do Projeto de Lei 4330.

A pretexto de regulamentar a terceirização, o PL 4330, também chamado de “PL da Escravidão”, permite a generalização e o aprofundamento da terceirização para toda a economia e sociedade, rebaixando o valor social do trabalho na vida econômica brasileira, afetando fortemente, de maneira negativa, o mercado de trabalho e de consumo, com repercussão na arrecadação previdenciária e tributária do país.

Petrobrás – Já, com relação à gestão da Petrobrás, o aspecto mais enfatizado pelos trabalhadores foi o estreito alinhamento da atual direção da Companhia com os interesses dos grandes acionistas privados. Para atender a sede de lucro-máximo e rápido, a Petrobrás passou a concentrar recursos nas áreas do pré-sal, reduzindo custos e investimentos nos estados que possuem campos maduros.

Para os trabalhadores, a gestão da presidente Graça Foster compromete o papel da Petrobrás enquanto instrumento de combate às desigualdades regionais, fragilizando economias em que, a exemplo do Rio Grande do Norte, a cadeia produtiva do petróleo tenha forte peso no PIB industrial.

Pauta – Além da luta contra o PL 4330, o debate resgatou as demais reivindicações constantes da pauta unitária da classe trabalhadora, encaminhada pelas centrais sindicais brasileiras à presidenta da República e ao Congresso Nacional. As bandeiras reafirmadas no Dia Nacional de Luta são: fim do Fator Previdenciário; redução da jornada de trabalho para 40h semanais; reforma agrária; reajuste digno para as aposentadorias; transporte público de qualidade; mais investimentos públicos na saúde e na educação; e o fim dos leilões do petróleo.

Compartilhar: