Pular para o menu
1385384245
Prática antissindical?

Com argumentos contraditórios, Petrobrás rescinde contrato com três trabalhadores

Medida foi tomada no período pós-greve e pode representar retaliação ao movimento

25 de novembro de 2013 às 09:57

destaque

Foto: Graziella Sousa

O SINDIPETRO-RN ajuizou ação, na última sexta-feira, 22, requerendo a reintegração à Petrobrás de três técnicos de Química demitidos recentemente. A alegação da Empresa, conforme comunicado recebido por Alex Matheus, Carlos Bezerra e Jardeilson Soares, é de que a formação original dos petroleiros é em “Petróleo e Gás”, diferindo daquela que foi exigida pelo edital do concurso em que foram aprovados, que era de “Química do Petróleo”.

O sentimento entre os colegas de trabalho é de profunda estranheza e revolta com a decisão. Isto porque os jovens só ingressaram na Empresa, há três anos, após o reconhecimento da equivalência dos cursos, pela Petrobrás, conforme tabela do Ministério da Educação – MEC. E a decisão chama ainda mais a atenção pelo fato de, ao longo desse período de trabalho, todos terem sido promovidos, passando a ocupar a categoria “Pleno”. 

Em reunião com a assessoria jurídica do Sindicato, os petroleiros atingidos lembraram que a rescisão coincide com algumas situações. A primeira, com um processo em que outra pessoa, que possui formação idêntica à deles, os cita como justificativa para requerer ingresso na Petrobrás, uma vez que a admissão fora rejeitada sob o argumento de ausência da formação exigida. A Justiça, entretanto, deu razão à parte autora do processo, que, inclusive, já fez os exames admissionais para ingresso na Companhia.

A segunda situação está relacionada ao fato de os três trabalhadores terem participado da recente greve de outubro. E, para o SINDIPETRO-RN, é muito provável que a atitude da Empresa seja uma retaliação ao movimento grevista. A atitude guarda, ainda, relação com o Procop, já que é sabido que há uma vontade da Empresa em terceirizar o setor, começando pelo seu esvaziamento. O Sindicato está vigilante; não permitirá que injustiças sejam cometidas; e convoca a categoria petroleira a se manifestar, cobrando a reintegração dos companheiros demitidos, em ato público programado para a próxima quinta-feira, 28 de novembro, em frente à sede administrativa da Petrobrás, em Natal.

Compartilhar: