Pular para o menu
1512478019

Com novo reajuste, gás de cozinha vai se transformando em artigo de luxo

05 de dezembro de 2017 às 09:46

destaque

Foto: Arquivo

Com o novo reajuste de 8,9% no preço do gás liquefeito de petróleo (GLP), anunciado pela Petrobrás, nesta segunda-feira, 4, o valor do botijão de gás de cozinha de 13 kg, vendido no Rio Grande do Norte, deve ultrapassar a marca dos R$ 80.

Nos últimos quatro meses, o reajuste acumulado do preço do botijão já chega a 67%, e tem feito com que o gás de cozinha comece a se transformar em artigo de luxo, levando pessoas que não têm condições de pagar a recorrerem ao uso do fogão a lenha.

Segundo comunicado divulgado pela Petrobrás, o reajuste que entra em vigor a zero hora desta terça-feira, 5, foi causado principalmente pela alta das cotações do produto nos mercados internacionais, que acompanharam a alta do Brent.

Os constantes aumentos nos preços do gás de cozinha e de outros derivados resultam da política fixada pela atual gestão da Petrobrás, que pretende alinhar os preços domésticos com os do mercado internacional, sem levar em conta a realidade dos consumidores brasileiros.

Veja, a seguir, o comunicado divulgado pela Petrobrás...

“A Petrobras informa que, de acordo com a política de preços divulgada em 07/06/2017, reajustou os preços do gás liquefeito de petróleo para uso residencial, envasado pelas distribuidoras em botijões de até 13 kg (GLP P-13), o gás de cozinha, em 8,9%, em média. O reajuste entra em vigor à zero hora de 05 de dezembro de 2017, próxima terça-feira.

O reajuste foi causado principalmente pela alta das cotações do produto nos mercados internacionais, que acompanharam a alta do Brent.

Como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, as revisões feitas nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor. Isso dependerá de repasses feitos especialmente por distribuidoras e revendedores.

O ajuste anunciado foi aplicado sobre os preços praticados sem incidência de tributos. Se for integralmente repassado aos preços ao consumidor, a companhia estima que o preço do botijão de GLP P-13 pode ser reajustado, em média, em 4,0% ou cerca de R$ 2,53 por botijão, isso se forem mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos.

O último reajuste ocorreu em 05 de novembro de 2017. A alteração atual não se aplica ao GLP destinado a uso industrial/comercial.

A Petrobras informa ainda que as futuras mudanças nos preços do GLP voltado ao segmento residencial nas refinarias estão sendo informadas também por meio do site da companhia na página http://www.petrobras.com.br/precosdistribuidoras.”