Pular para o menu
1470760753

Conexão Potiguar: Diretora do Sindipetro-RN fala sobre agenda de mobilizações e Petrobrás

Jornada de luta da categoria contra o anúncio de privatizações foi debatido no programa com Fátima Viana

09 de agosto de 2016 às 13:39

destaque

Foto: Tiago Rebolo

Durante o mês de agosto, os trabalhadores na área de petróleo realizarão uma jornada de lutas, no sentido de discutir políticas que estão sendo implementadas ou discutidas pelo Governo Federal. De que se trata?

A jornada foi iniciada e busca conversar, discutir com a sociedade e esclarecer os prejuízos que a população tem com o processo de privatização com a Petrobras.

Pelo que escutamos nas notícias, essas privatizações são de alguns ativos da Petrobras, sobretudo os campos maduros. É só isso ou tem algo mais do que isso?

Na verdade, é anunciada apenas uma parte do processo, aquela mais fácil de ser assimilada porque envolve pequenas economias que são os estados do Nordeste. “Pequenas” em relação a economia de grandes centros, como São Paulo. Mas na verdade, o que está em curso é um processo de privatização da Petrobras. Uma parte ela faz pela via do desinvestimento, e outra acontece pela via do abandono e também da venda de concessões. A Petrobras pôs à venda não apenas concessões nas áreas de terra, mas ela também negocia participações das termoelétricas e na Transpetro. Esta é uma parte importante da Petrobras, pois garante o abastecimento da sociedade. Isso poderá ficar prejudicado se sair do controle do Estado. Nas áreas terrestres, esse processo é mais imediato: a Petrobras anunciou a venda de 98 concessões. É muito mais que a área do Rio Grande do Norte. 

98 concessões num universo de quantas?

São 98 concessões envolvendo Ceará, Rio Grande do Norte, Bahia, Alagoas e Sergipe. Aqui no Rio Grande do Norte, são 38 concessões. Isso impacta Apodi, Mossoró, Dix Sept Rosado, Assú, Macau, Porto do Mangue, Pendências e Alto do Rodrigues.

Isso pode causar desemprego?

Certamente. Além do desemprego, isso impacta a economia local como um todo. Só para nós termos uma ideia, a Petrobras investe em custeio das suas áreas aqui no estado um valor em torno de R$ 1,2 milhão. Obviamente, na hora que a Petrobras vende as suas concessões não mais fará investimento de custeio. No ponto de vista das reservas e da produção do petróleo, a Petrobras hoje paga royalties da ordem de 5 a 10% a depender do local e da produção.

As pessoas estão preocupadas com essa questão?

Infelizmente, a sociedade não é informada da maneira adequada. A Petrobras comete a falha em não informar sobre o que implica a sua presença em determinada região. É importante que as pessoas saibam que há um prejuízo enorme com esse processo em curso.