Pular para o menu
1512154420

CTB: Continuaremos nas ruas contra a Reforma da Previdência no dia 5 de Dezembro

01 de dezembro de 2017 às 15:53

destaque

Foto: CTB

Diante do anúncio de adiamento da votação da “Reforma” da Previdência, que aconteceria na próxima quarta-feira, 6, algumas centrais sindicais como CUT, Força Sindical, UGT, Nova Central e CSB decidiram suspender a greve nacional que estava sendo articulada para acontecer na terça-feira, 5.

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB – mantém suas bases mobilizadas por considerar “estratégico aprofundar a dificuldade do governo em arregimentar apoio para votar o projeto que acaba com o direito à aposentadoria do nosso povo”.

Para a CTB, a vigilância e a resistência são fundamentais à retirada definitiva da proposta de “reforma” da pauta do Congresso. Nesse sentido, a entidade discorda da posição das outras centrais e orienta os sindicatos a manterem os atos e manifestações anteriormente agendados, conjuntamente com os movimentos sociais.

Confira a nota completa divulgada pela CTB...

A luta contra a Reforma da Previdência é uma luta estratégica para o nosso povo, a vigilância e resistência são fundamentais e a CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil) sabe da centralidade desta luta.

A CTB sempre defendeu e defenderá a unidade das centrais sindicais, por entender que a nossa luta segue objetivo comum: a defesa dos interesses da classe trabalhadora.

Diante da posição adotada pela maioria das Centrais, da qual discordamos profundamente, e entendendo ser estratégico aprofundar a dificuldade do governo em arregimentar apoio para votar o projeto que acaba com o direito à aposentadoria do nosso povo, a CTB orienta sua base a permanecer em luta DIA 5 DE DEZEMBRO e realizar ATOS na porta das sedes do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) em todas as cidades do país.

E mais, pela dinâmica dos estados, acreditamos que é possível ampliar esses atos com a participação de outras centrais sindicais, os movimentos sociais e a sociedade de forma geral, que está inconformada com a onda de ataques deste governo.

A CTB conclama à unidade e entende ser necessário uma reunião urgente das Centrais, confederações, federações e os Sindicatos das principais categorias para uma discussão sobre a construção da GREVE NACIONAL.

Entendemos que se o governo insistir em votar não nos restará outra alternativa que não seja parar o país.

Agora é a hora de mobilizar a sociedade para a resistência contra o desmonte da Previdência e em defesa dos direitos. Resistir a todo custo está no DNA da CTB e seguiremos firmes em nossa luta pela classe trabalhadora e pelo futuro do nosso povo.

Se botar pra votar, o Brasil vai parar!

01 de dezembro de 2017

Adilson Araújo
Presidente Nacional da CTB