Pular para o menu
1346255505
Política

Dia da Anistia é celebrado na Câmara Municipal de Natal

Vítimas do Regime Militar serão homenageadas em sessão solene no dia 30 de agosto

29 de agosto de 2012 às 12:51

Com objetivo de celebrar a luta pela Anistia e de resgatar o debate histórico sobre o período da Ditadura Militar, reunindo anistiados potiguares e convidados, a Câmara Municipal do Natal (CMN) realiza nesta quinta-feira, dia 30 de agosto, uma Sessão Solene em homenagem ao “Dia da Anistia Municipal”.  O evento acontece no plenário Érico Hackradt da CMN, às 18h.

Participam desta homenagem: representantes da Associação dos Anistiados Políticos do RN, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RN), do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA/UFRN), da Associação dos Ferroviários Inativos e Anistiados do RN e do Conselho Estadual de Direitos Humanos, do Centro de Direitos Humanos e Memória Popular do RN, da Associação dos Docentes da UFRN (ADURN), da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB-RN), da Federação dos Conselhos Comunitários do RN (FECEB-RN), além de diversos segmentos ligados à luta pela Anistia no Brasil.

O momento vai ser de reflexão e de resgatar o marco histórico de luta por liberdade no Brasil. Segundo Mery Medeiros, escritor, pesquisador social e presidente da Associação dos Anistiados Políticos do RN, um evento dessa natureza “revela um resgate notável da memória popular contra o regime militar no país”. O anistiado potiguar destaca a importância de se celebrar um dia especial em homenagem a todos aqueles que foram privados da liberdade e do convívio familiar. "Teve gente que foi exilada, detida e impedida de opinar. Nas universidades, os estudantes não podiam debater e os movimentos sociais foram proibidos de se organizar. Sem falar naqueles que perderam o emprego e foram cerceados", esclarece Mery.

Em todo o Rio Grande do Norte foram cerca de 140 perseguidos, 3 desaparecidos e um comprovadamente assassinado. "Tivemos pessoas perseguidas e torturadas, tanto fisicamente como psicologicamente. O jornalista Rubens Lemos, por exemplo, foi um deles. Eu, com 21 anos, fui preso em Recife acusado de atividades subversivas e da reorganização do Sindicato Rural. Uma das torturas sofridas por mim foi ficar dentro de uma câmara fria até a sola do pé cair", conta Mery.

Sobre o Dia Municipal da Anistia

O Dia Municipal da Anistia foi criado através da lei (que seguiu para sanção da Prefeitura do Natal) de autoria do vereador George Câmara (PCdoB), e institui o dia 28 de agosto, no âmbito do Município de Natal, como Dia Municipal da Anistia, em homenagem a todas as vítimas do regime militar, no período de 1964 a 1985. A data constará no calendário oficial de eventos do Município de Natal e ficará facultada à Câmara Municipal de Natal a realização anual de sessão solene, no dia 28 de agosto ou nos dias úteis subsequentes, a responsabilidade em homenagear Natalenses que tenham se destacado na luta pela anistia e em defesa dos direitos da dignidade humana.

Para o vereador George, entre os vários objetivos desta sessão, está o de promover um levante histórico do período. O parlamentar lembra que no início da década de 70 a anistia era tratada apenas por um pequeno grupo da sociedade, em sua grande maioria, os familiares dos desaparecidos. "Nenhum país avança, em matéria de democracia, escondendo sua história. Mesmo aquilo que aconteceu de ruim e vergonhoso precisa ser lembrado, até para que não seja repetido no futuro", enfatiza George.

Compartilhar: