Pular para o menu
1361287765
Conselho de Administração

Diretoria do SINDIPETRO-RN decide apoiar candidatura de José Maria

Segundo turno da eleição começa em 23 de fevereiro e votação prossegue até o dia 3 de março

19 de fevereiro de 2013 às 12:29

destaque

Foto: Arquivo

Em reunião realizada na manhã do último sábado, 16, a diretoria do SINDIPETRO-RN decidiu apoiar a candidatura de José Maria Rangel, no segundo turno da eleição do representante dos trabalhadores e trabalhadoras para o Conselho de Administração da Petrobrás. Zé Maria, como é mais conhecido, é coordenador geral do Sindipetro-NF e membro da FUP, onde atua como diretor da Secretaria de Saúde e Segurança. No primeiro turno, foi o candidato mais votado, conquistando 4.568 sufrágios.

Debates – Além de manifestar apoio à candidatura, a diretoria do Sindicato promoverá debates com Zé Maria nas principais bases da Empresa, no Estado, no período de 20 e 22 de fevereiro. Entre outras bandeiras, o Sindicato defende que o representante dos trabalhadores no Conselho de Administração esteja comprometido com as lutas...

  • Pela extinção do parágrafo único do artigo 28 do Estatuto Social da Companhia que impede que representantes dos trabalhadores no Conselho de Administração tenham participação em deliberações e discussões que envolvam assuntos de “relações sindicais, remuneração, benefícios e vantagens, inclusive matérias de previdência complementar e assistenciais”;
  • Pela ampliação e fortalecimento do papel da Petrobrás como instrumento do Estado brasileiro de controle e usufruto de riquezas estratégicas para o desenvolvimento nacional;
  • Contra a realização dos leilões de blocos exploratórios e para que a Petrobrás atue como instrumento fomentador do desenvolvimento econômico e de combate às desigualdades regionais, operando sempre com responsabilidade social e ambiental;
  • Pela elevação dos níveis de investimento nas regiões nordeste e norte, e para que a exploração dos campos terrestres permaneça sob o controle da Companhia;
  • Por um modelo de gestão caracterizado pelo respeito à ética e que combata o assédio moral, valorizando a negociação permanente com as entidades que representam os trabalhadores;
  • Por um novo plano de cargos e salários; uma política justa de AMS; melhorias nos planos de segurança operacional; e por uma PETROS que reconheça e respeite os direitos de todos.

 

 

Compartilhar: