Pular para o menu
1300510465
Confissão de Culpa

Empresa ignora convite e não comparece a evento

Dirigentes da Petrobrás nem ao menos apresentam justificativa aos vereadores e à sociedade

19 de março de 2011 às 01:54

destaque

Foto: Arquivo

Apesar de ter sido convidada com grande antecedência, a direção local da Petrobrás não enviou representantes e nem justificou sua ausência na Audiência Pública promovida pela Câmara Municipal de Natal, no último dia 18 de março. Para os presentes, considerando que o evento teve por objetivo debater o modelo e as consequências da política de terceirização que vem sendo praticada pela Empresa, a atitude foi considerada uma confissão de culpa.

No Rio Grande do Norte, 81% da força de trabalho mobilizada pela Petrobrás é constituída de trabalhadores terceirizados. Em outras palavras, isto significa que, para cada trabalhador próprio, a Empresa mantém 4,2 contratados, demonstrando que muitas atividades essenciais já estão sendo realizadas por trabalhadores terceirizados.

Na região de Mossoró, uma das maiores áreas produtoras de petróleo em terra do país, com milhares de poços, os trabalhadores terceirizados ultrapassam 90%. Já, em Guamaré, onde estão sediadas a Unidade de Tratamento de Produtos Fluidos – UTPF e a Refinaria Potiguar Clara Camarão – RPCC, unidades que demandam trabalho com elevado grau de especialização, a mão de obra terceirizada responde por 44%.

Participação – Além dos vereadores George Câmara e Aquino Neto, e de representantes do senador Paulo Davim e do Deputado Hermano Morais, participaram da Audiência Pública o coordenador-geral da FUP, João Moraes; o coordenador-geral do SINDIPETRO/RN, Márcio Dias; o presidente do Clube de Empregados da Petrobrás, Walcimar Meira, o presidente estadual da CTB, Moacir Soares; o secretário municipal de Educação, Walter Fonseca, vários operadores do Direito e sindicalistas.

Compartilhar: