Pular para o menu
1404915927

Encontro na Bolívia reforça internacionalismo classista

09 de julho de 2014 às 11:25

destaque

Foto: Arquivo

“A luta nos une, nada nos separa”, com este lema o presidente da CTB, Adilson Araújo, iniciou sua coordenação, na última segunda-feira (30), da mesa inaugural instalada no Encontro Sindical Internacional Anti-imperialista que ocorre até a próxima quarta (2) na cidade boliviana de Cochabamba.

Também pela central brasileira, o secretário de Relações Internacionais, Divanilton Pereira, contextualizou que o encontro acontece dentro de uma nova ofensiva imperialista. 
Ele destacou, em seu discurso, os fatos mais recentes que ocorreram  na Líbia, Síria e Ucrânia, além dos países da América Latina e  Caribe que, segundo ele, são os alvos preferenciais do imperialismo. 

“Em nossa região, os Estados Unidos e seus aliados promovem e financiam golpes, fraudes e desestabilizações políticas, além de chantagear e e boicotar os processos progressistas da região, para prejudicar economicamente países como a Venezuela, Argentina e Brasil”, destacou o cetebista. 

“América Latina e o Caribe, através da resistência popular, acumulou forças e hoje vive seu melhor momento político, porém ainda com enormes obstáculos e inimigos”, observou Divanilton que resgatou o pensamento do líder revolucionário argentino Ernesto Che Guevara “Nenhum minuto sequer de trégua ao imperialismo”

Para ele o encontro é uma resposta política para essa nova ofensiva e que arma os povos ideologicamente além de contribuir para que a classe trabalhadora não permita retrocessos na região.

“Consideramos urgente que os classistas elaborem uma plataforma classista unitária para que possamos disputar e melhor influenciar a valorização do trabalho nos processos mudancistas em curso no continente”, expressou.

Após o ato inaugural, as delegações estão debatendo sobre o papel do movimento sindical no combate ao imperialismo em mesas temáticas de trabalho e produzirão no fim do evento um documento resolutivo. Participam das atividades cerca de mil delegados, cem deles são internacionais  vindos de 22 países.  

De Cochabamba, Bolívia 
Divanilton Pereira - secretário de Relações Internacionais da CTB  

Compartilhar: