Pular para o menu
1406635064
5 de agosto

Fim do Regime Administrativo no campo será debatido com a Petrobrás

Categoria quer adoção de Regime Especial para áreas consideradas remotas

29 de julho de 2014 às 08:57

destaque

Foto: Arquivo

No dia 5 de agosto, a Diretoria Colegiada do SINDIPETRO-RN reúne-se, em Natal, com representantes do RH Corporativo e da Gerência local de RH da Petrobrás. Em pauta, pleitos relativos à adoção de regimes de trabalho, nas áreas dos Ativos de Produção de Alto do Rodrigues (ATP-ARG), Mossoró (ATP-MO) e da Termoaçu (UTE-JSP).

A melhoria dos regimes praticados em áreas operacionais de características remotas tem sido uma reivindicação recorrente dos trabalhadores, constatada em diversas pesquisas de ambiência. A categoria, no entanto, entende que não é necessária a criação de novos regimes de trabalho para que muitos dos atuais problemas sejam solucionados.

No Rio Grande do Norte, além do Regime Administrativo, são praticados o Turno Ininterrupto de Revezamento (TIR), o Sobreaviso e o Regime Especial de Campo (REC). Este último é adotado no Polo Industrial de Guamaré, em lugar do Regime Administrativo, considerando as características remotas da área.

No entanto, em instalações de campo abrangidas pelo ATP-ARG e pelo ATP-MO (Canto do Amaro e Riacho da Forquilha), além da UTE-JSP, igualmente caracterizadas pela distância dos grandes centros urbanos, dificuldades de logística e deficiência na oferta de serviços, o Regime Especial de Campo não é adotado. Nestas, aplica-se o Regime Administrativo, nos mesmos termos em que é praticado nas sedes de Natal e Mossoró.

Visita – Como desdobramento dos debates realizados entre Sindicato e Petrobrás, representantes do RH Corporativo visitaram o Rio Grande do Norte, na última semana. Acredita-se que o principal objetivo tenha sido o de conhecer as principais características e peculiaridades dos diversos ambientes de trabalho, sobretudo nas áreas operacionais remotas, a fim de que o debate sobre a melhoria de regimes possa evoluir.

Na opinião da direção do Sindicato, seria importante que as gerências operacionais do ATP-ARG e do ATP-MO também participassem dos debates com o RH Corporativo. Afinal, se elas têm competência para administrar os processos de trabalho em suas respectivas áreas, também deverão ter o conhecimento necessário para opinar sobre a melhor forma de aproveitamento e organização da mão de obra, considerando as necessidades de produção e a boa ambiência.

Na próxima quinta-feira, 31, a Comissão de Regimes de Trabalho, prevista na cláusula 106 do Acordo Coletivo de Trabalho, volta a se reunir com a Petrobrás, para cobrar respostas de algumas reivindicações da FUP e dos sindicatos filiados. O SINDIPETRO-RN participa da discussão e deverá enfatizar a necessidade de extinção do regime administrativo nos campos terrestres de produção, e a adoção, para o ATP-ARG, ATP-MO e UTE-JSP, além do TIR – Turno Ininterrupto de Revezamento, do Sobreaviso, o REC – Regime Especial de Campo.

Compartilhar: