Pular para o menu
1405002760
Desenvolvimento

George e Fátima reúnem-se com Gerência da UO para tratar de investimentos

Parlamentares integram a Frente em Defesa da Petrobrás e dos Investimentos em Campos Terrestres

10 de julho de 2014 às 11:32

destaque

Foto: Arquivo

Preocupados com a retração da atividade petrolífera no Rio Grande do Norte, o vereador natalense George Câmara (PCdoB) e a deputada federal Fátima Bezerra (PT) participaram, na última quinta-feira, 3, de uma reunião com a Gerência Geral da UO-RNCE, na sede da Petrobrás, em Natal.

Na oportunidade, o gerente Luiz Ferradans apresentou as metas e expectativas de investimentos da estatal para os próximos anos, e também foi discutida a reposição de efetivos para preenchimento das vagas decorrentes da adesão ao Plano de Incentivo ao Desligamento Voluntário – PIDV, entre outros assuntos.

Segundo Luiz Ferradans, os recursos para custeio operacional e investimentos previstos para 2014, na UO-RNCE, devem ultrapassar US$ 1,8 bilhões, configurando volume semelhante ao de 2013. Já, para 2015, a perspectiva é de elevação para a casa dos US$ 2 bilhões. 

Com relação ao Campo de Pitu, localizado em águas profundas da Bacia Potiguar, Ferradans se mostrou otimista, afirmando que as perspectivas são “muito boas”, e que a Petrobras está buscando obter o maior número de informações para que seja feita a antecipação da exploração.

Reposição de efetivo

Outro tema abordado durante a reunião foi a reposição dos efetivos que aderiram ao PIDV. Os parlamentares defenderam a realização de concursos para preenchimento das vagas e criticaram o caminho da terceirização. Luis Ferradans esclareceu que as vagas operacionais serão repostas em sua totalidade, e que concursos deverão ser abertos para o preenchimento dos cargos.

Na opinião do vereador George Câmara (PCdoB), que também é diretor licenciado do SINDIPETRO-RN, a reunião foi bem produtiva, pois permitiu um maior conhecimento da realidade local. “Estamos convencidos de que o Estado tem potencial para expandir a produção e defendemos que a Petrobrás não abra mão do papel de instrumento de fomento ao desenvolvimento e de combate às desigualdades regionais”.

Ainda segundo George Câmara, o próximo passo dos parlamentares deverá ser uma visita à Agência Nacional de Petróleo – ANP. Na oportunidade, também deverão participar parlamentares de outros Estados, cuja produção se origina de campos terrestres considerados maduros. 

Compartilhar: