Pular para o menu
1280502204
ABDM

Greve é suspensa, mas poderá ser retomada

Se até seis de agos­to, as de­mais exi­gên­cias do mo­vi­men­to não forem aten­di­das, ha­ve­rá nova pa­ra­li­sa­ção

30 de julho de 2010 às 12:03

destaque

Foto: Arquivo

Pres­tes a ter que en­ca­rar o ter­cei­ro dia de pa­ra­li­sa­ção, a di­re­ção da ABDM, em­pre­sa que pres­ta ser­vi­ços à Pe­tro­brás em Gua­ma­ré e Alto do Ro­dri­gues, de­ci­diu pagar os sa­lá­rios e o plano de saúde dos tra­ba­lha­do­res, que es­ta­vam em atra­so. Com isso, a greve ini­cia­da em 21 de julho foi sus­pen­sa, e as ati­vi­da­des pro­fis­sio­nais foram re­to­ma­das.

Os tra­ba­lha­do­res, no en­tan­to, ad­ver­tem: se até seis de agos­to, as de­mais exi­gên­cias do mo­vi­men­to não forem aten­di­das, ha­ve­rá nova pa­ra­li­sa­ção, a par­tir do dia nove. Os fun­cio­ná­rios rei­vin­di­cam a so­lu­ção de di­ver­sas pen­dên­cias, que re­ve­lam a ab­so­lu­ta falta de se­rie­da­de e ética com que a ABDM vem exe­cu­tan­do seus con­tra­tos. (Veja no Box, ao lado).

So­li­da­rie­da­de - Du­ran­te a As­sem­bléia que de­fla­grou o mo­vi­men­to na ABDM, vá­rios tra­ba­lha­do­res da Pe­tro­brás ma­ni­fes­ta­ram sua so­li­da­rie­da­de e se mos­tra­ram pro­fun­da­men­te in­dig­na­dos com as ati­tu­des da ter­cei­ri­za­da. Tam­bém causa es­tra­nhe­za o fato de o setor de con­tra­tos da Com­pa­nhia se­quer pres­sio­nar pela so­lu­ção dos pro­ble­mas. Para uma em­pre­sa que é con­si­de­ra­da uma das maio­res do mundo e que pre­ten­de man­ter uma ima­gem ins­ti­tu­cio­nal pro­gres­sis­ta, a si­tua­ção é pro­fun­da­men­te con­tra­di­tó­ria.

Veja o que os trabalhadores da ABDM reivindicam...

. Pa­ga­men­to dos sa­lá­rios re­la­ti­vos ao mês de julho;
. Re­gu­la­ri­za­ção do Plano de Saúde, com ga­ran­tia de abran­gên­cia mí­ni­ma para os Es­ta­dos do RN e CE;
. Res­sar­ci­men­to dos cus­tos de­cor­ren­tes do pa­ga­men­to de con­sul­tas e ou­tros pro­ce­di­men­tos mé­di­cos, de­vi­do à ina­dim­plên­cia da Em­pre­sa com o Plano de Saúde;
. Re­gu­la­ri­za­ção do FGTS;
. Ga­ran­tia de que a em­pre­sa pa­ga­rá as ver­bas tra­ba­lhis­tas do con­tra­to que se en­cer­ra no mês de se­tem­bro;
. Res­sar­ci­men­to dos pre­juí­zos de­cor­ren­tes do pa­ga­men­to de juros e cor­re­ção mo­ne­tá­ria,  em vir­tu­de dos em­prés­ti­mos con­sig­na­dos não pagos pela em­pre­sa, bem como, do atra­so no pa­ga­men­to das par­ce­las ven­ci­das de­vi­das ao banco;
. Com­pro­va­ção de re­pas­se ao banco dos va­lo­res das par­ce­las re­fe­ren­tes aos em­prés­ti­mos con­sig­na­dos in­de­vi­da­men­te apro­pria­dos pela em­pre­sa;
. Cor­re­ção dos con­tra­che­ques dos tra­ba­lha­do­res e tra­ba­lha­do­ras que exe­cu­tam suas ati­vi­da­des no Pólo Gua­ma­ré;
. Cor­re­ção do sa­lá­rio de fun­cio­ná­ria em li­cen­ça ges­tan­te, cujo pa­ga­men­to não in­cluiu os 30% de pe­ri­cu­lo­si­da­de;
. Me­lho­ria da ali­men­ta­ção e das con­di­ções em que são ser­vi­das aos tra­ba­lha­do­res;
. Re­gu­la­ri­za­ção das fé­rias, cuja co­mu­ni­ca­ção de­ve­rá ser feita com an­te­ce­dên­cia mí­ni­ma de 30 dias e pa­ga­men­to efe­tua­do até dois dias antes do iní­cio do gozo.

Compartilhar: