Pular para o menu
1437159692
Campanha Reivindicatória

Greve em 24 de julho vem sendo aprovada por ampla maioria

Paralisação nacional de 24 horas deverá atingir todas as unidades da Petrobrás

17 de julho de 2015 às 16:01

destaque

Foto: Arquivo

No Rio Grande do Norte, a Campanha Reivindicatória dos trabalhadores do Sistema Petrobrás prossegue na próxima terça-feira, 21, com a realização de assembleias deliberativas em Upanema às 7h30; na sede administrativa da Companhia, em Natal, às 8h00; e, em Lorena, às 12h30. Em pauta, a proposta de realização de uma greve de 24 horas, em 24 de julho. Antes, porém, a Diretoria Colegiada do SINDIPETRO-RN reúne-se nesta segunda-feira, 20, às 10h00, para fazer um balanço das ações realizadas.

Atuando simultaneamente em diversas frentes, o Sindicato promoveu assembleias na Usina Termoelétrica Jesus Soares Pereira (antiga Termoaçu); no Ativo de Produção do Alto do Rodrigues (ATP-ARG); no Porto de Guamaré (embarque das plataformas / ATP-M); no Polo Guamaré; no campo de Canto do Amaro e na Base-34 (sede administrativa da Petrobrás em Mossoró). A estratégia de campanha definida na 5ª Plenária Nacional da FUP, realizada no início deste mês, em Guararema (SP), vem sendo amplamente aprovada pela categoria.

O entendimento majoritário manifestado no decorrer dos debates é o de que, neste momento, os trabalhadores petroleiros devem centrar esforços na defesa da Petrobrás e do pré-sal, privilegiando a chamada “Pauta Política Unificada”, protocolada junto à Companhia em 7 de julho. O documento critica o Plano de Negócios e Gestão 2015/19, defendendo a manutenção da Petrobrás como empresa integrada de energia, criticando o corte de investimentos e a venda de ativos.

Outra frente prioritária de atuação da campanha reivindicatória, neste momento, é o esforço pela derrota das iniciativas parlamentares que, a exemplo do Projeto de Lei nº 131, de autoria do senador tucano José Serra (PSDB-SP), buscam restringir o papel da Petrobrás e por fim ao modelo de partilha.

Por isso, o movimento sindical petroleiro tem exigido que a direção da Petrobrás firme posicionamento público, por escrito, sobre a capacidade da Companhia de operar o pré-sal.

Ainda conforme a estratégia definida na 5ª Plenafup, foram recepcionadas todas as reivindicações relativas à renovação do Acordo Coletivo de Trabalho 2015/17, aprovadas nos congressos estaduais. Há consenso de que não se deve aceitar nenhum tipo de retrocesso nos direitos adquiridos. Na primeira semana de agosto, à luz da evolução da conjuntura, será realizada uma reunião ampliada do Conselho Deliberativo da FUP, para unificar a pauta específica da campanha, cuja data-base é 1º de setembro.

Protagonismo – Além das assembleias da Campanha Reivindicatória, a Diretoria Colegiada do SINDIPETRO-RN tem sido protagonista em diversas frentes de atuação, demandando crescente apoio e participação ativa e consciente de todos os sindicalizados. Na última terça-feira, 14, a entidade esteve presente no Ato “Em defesa da Petrobrás e da Democracia”, realizado no Auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Na quarta-feira, 15, diretores do Sindicato participaram da reunião de defesa da Pauta Política Unificada, junto à direção da Petrobrás, e, em âmbito local, de uma audiência com o governador Robinson Faria. Nesta oportunidade, a representação sindical expôs ao chefe do Executivo as ameaças à Petrobrás e ao modelo de partilha, alertando sobre as possíveis consequências do novo Plano de Negócios e Gestão da Companhia para a economia norte-rio-grandense.

Na quinta-feira, 16, o Sindicato promoveu uma reunião plenária, em Mossoró, com a participação de representantes de 15 entidades dos movimentos sociais e do vice-prefeito da cidade, para discutir e organizar a luta em defesa da Petrobrás, do pré-sal e dos campos maduros. Na reta-final da preparação da greve, o empenho e a dedicação da categoria petroleira serão cada vez mais decisivos para o êxito do movimento.

 

Compartilhar: