Pular para o menu
1494601180
Contra as reformas

Hora de ocupar Brasília

12 de maio de 2017 às 11:59

destaque

Foto: Arquivo

Depois de avaliarem a greve geral de 28 de abril como amplamente vitoriosa, as centrais sindicais brasileiras já definiram os próximos passos da luta contra a terceirização e as reformas previdenciária e trabalhista, pretendidas pelo governo golpista chefiado pelo ilegítimo Michel Temer.

Em decisão consensual, as entidades estão conclamando as diversas organizações de trabalhadores da cidade e do campo, além de representações dos movimentos sociais, para marcharem a Brasília e promoverem uma grande manifestação política contra a retirada de direitos.

O período inicial de ocupação da capital federal vai de 15 a 19 de maio com a realização de um corpo a corpo junto aos parlamentares. A marcha a Brasília está programada para o dia 24 de maio, semana em que a PEC 287 que acaba com a Previdência Social pública poderá entrar em votação na Câmara.

Caso as ações planejadas não sejam suficientes para convencer deputados e senadores, as centrais sindicais já assumiram o compromisso de organizar uma nova greve geral, que deverá ser ainda mais forte do que aquela realizada em 28 de abril.

Intensificar

Nos Estados, paralelamente ao trabalho de persuasão e pressão realizado em Brasília, é necessário intensificar a mobilização, ampliando e aprofundando o debate com os trabalhadores e o povo sobre os efeitos negativos da política ultraliberal, antinacional, antidemocrática e antipopular, que vem sendo chancelada pelo Congresso Nacional.

Nos próximos dias, o SINDIPETRO-RN promoverá nova rodada de reuniões e assembleias nas principais bases administrativas e operacionais da categoria no Estado. A Direção da entidade avalia que a greve colocou a luta contra o governo golpista em um novo patamar, favorecendo o crescimento da resistência progressista.

Compartilhar: