Pular para o menu
1311343093

Idema suspende despejo de lixo industrial no RN

22 de julho de 2011 às 10:58

Dentro de duas semanas o Instituto Estadual de Desenvolvimento Sustentável e  Meio Ambiente (Idema-RN) vai emitir parecer sobre a carga de "resíduo de cascalho" extraído de um campo de petróleo e gás, no município maranhense de Capinzal do Norte, para então decidir se autoriza ou não o seu despejo no aterro sanitário da Braseco, em Ceará-Mirim. Como medida imediata, o Idema suspendeu, ontem de manhã, o descarregamento da carga de seis carretas que estão estacionadas no pátio de um posto de revenda de combustível, na BR-406.

Além disso, o diretor geral do Idema, engenheiro civil Marcelo Toscano, informou que a Coordenação de Meio Ambiente do  órgão notificou a empresa transportadora - a Transpinheiro -, "porque não tinha autorização" para transitar com esse tipo de carga dentro do Rio Grande do Norte. As carretas também não poderão sair do posto de combustível até a Braseco, enquanto a Transpinheiro não obter autorização para trafegar com aquele tipo de carga nas estradas do RN.

Marcelo Toscano explicou que o procedimento, agora, é esperar pela defesa da Transpinheiro, e só depois disso o Idema poderá se posicionar se estipula ou não uma multa relacionada ao nível de infração cometida pela empresa.

Toscano informou que na tarde de quarta-feira, dia 21, a Braseco foi notificada e ontem de manhã, o diretor Henrique Dantas, comparecer ao órgão ambiental para prestar esclarecimentos.

Segundo Toscano, o diretor da Braseco compareceu ontem de manhã ao Idema, trazendo uma documentação, em que mostra, inclusive, que sua empresa teria um contrato com mineradora OGX Maranhão Petróleo e Gás, controlada pelo megainvestidor Eike Batista. Também foram apresentadas informações sobre o tipo de carga, que está sendo objeto de análise por parte dos técnicos do Idema.

O diretor do Idema ainda disse que "se houver necessidade", os técnicos do órgão voltam ao local para colher amostras do material, que pela documentação apresentada, trata-se de resíduos sólidos de classe II, tido na norma ABNT 10.004 como "não perigoso", segundo explicação dada pelo coordenador de Meio Ambiente do Idema, Sérgio Macedo.

A Transpinheiro é uma empresa de logística, locação de máquinas e gerenciamento de resíduos industrias e atua há 28 anos na região Nordeste, com sede em Salvador (BA). A TRIBUNA DO NORTE tentou falar com a empresa e, por telefone, um funcionário que disse não poder falar em nome da  Transpinheiro, disse que só o seu diretor de Operações, Jadiel Barros Santos, que estaria chegando ontem à noite em Natal, poderia falar sobre o caso.

Fonte: Tribuna do Norte Online

Compartilhar: