Pular para o menu
1499874436
Em Mossoró

João Pedro Stédile: “Nós precisamos antecipar o processo eleitoral”

Nesta terça-feira, 11, aconteceu o lançamento da "Frente Ampla pelas Diretas Já"

12 de julho de 2017 às 12:47

destaque

Foto: Deivson Mendes

Uma das principais lideranças do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile, voltou a Mossoró nesta terça-feira, 11, para o lançamento da Frente Ampla pelas Diretas Já, movimento que reivindica a convocação imediata de eleições para Presidente da República. O evento teve início às 9h no auditório do Hotel Villa Oeste.

“Não tem como haver legitimidade do novo governo se ele não emergir das urnas. Está lá na Constituição: ‘todo Poder emana da vontade popular e deve ser exercido pelo voto’. Então nós estamos em campanha pelo Brasil inteiro, fazendo eventos como esse, para, justamente, debater com o povo brasileiro a necessidade de Diretas já”, afirma João Pedro Stédile.

Movimentos sociais e partidos defendem a realização de novas eleições para presidente desde o impeachment de Dilma Rousseff e o pleito ganhou força após a divulgação de gravação de áudio do presidente Michel Temer (PMDB), feita pelo empresário Joesley Batista, dando aval para compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB), em relação à Operação Lava-Jato.

“Nós precisamos antecipar o processo eleitoral, podemos até mudar para cinco anos, mas é preciso que o povo decida. As forças políticas que apresentem os seus candidatos. Assim como a Globo já tem o Doria, a maior parte dos movimentos populares tem o Lula, outros vão votar no Bolsonaro, outros na Marina [Silva], não importa, mas os candidatos têm de apresentar projetos, propor, e o povo é o soberano para decidir a melhor saída para o Brasil”, disse João Pedro Stédile

Plano Popular de Emergência: Além de reivindicar Diretas Já, a Frente lançada em Mossoró na terça-feira(11) irá ajudar a elaborar o Plano Popular de Emergência da Frente Brasil Popular, com o objetivo de estimular o desenvolvimento, a geração de emprego e renda, e fomentar o debate acerca da necessidade e modelos de reformas Tributária, Política, Urbana e Agrária. 

Fonte: O Mossoroense

Compartilhar: