Pular para o menu
1407860696
“Livro Negro da Ditadura Militar”

Livro-denúncia sobre atrocidades da ditadura será relançado nesta quinta-feira, 14, durante o XVI CONFUP, em Natal

Primeira edição foi inteiramente pesquisada, escrita, impressa e distribuída clandestinamente, em 1972

12 de agosto de 2014 às 13:24

destaque

Foto: Arquivo

Na próxima quinta-feira, 14, às 18h30, acontece o relançamento da 2ª edição do “Livro Negro da Ditadura Militar”, uma cópia fiel à primeira edição que foi publicada e distribuída clandestinamente, em 1972, no auge da ditadura militar, pelo grupo revolucionário Ação Popular (AP). O evento será realizado no Hotel Pirâmide (Via Costeira), em Natal/RN, dentro da programação do XVI Congresso Nacional dos Petroleiros (CONFUP).

Em 2014, o golpe militar completou 50 anos. O momento é mais que oportuno para mostrar às novas gerações um pouco da história do Brasil, que não pôde ser revelada durante o período em que a ditadura esteve instalada no país. Na oportunidade do relançamento, estará presente o jornalista Bernardo Joffily. Juntamente com Carlos Azevedo, Divo e Raquel Guisoni, Duarte Pereira, Elifas Andreato, Jô Moraes e Márcio Bueno, Bernardo integrou o grupo que produziu o livro.

História - Em 1972, a ditadura iniciada em 1964 chegava ao seu ápice. Nunca se torturou, assassinou e censurou tanto. Justamente naquele ano foi publicado o “Livro Negro da Ditadura Militar”. Iniciativa da organização denominada Ação Popular (AP), ele é um caso único na saga da resistência antiditatorial: um livro-denúncia inteiramente pesquisado, escrito, impresso e distribuído na mais completa clandestinidade.

Quando o Brasil assinala o cinquentenário do golpe civil-militar, é oportuno que as novas gerações o conheçam. Com capa eloquente, obra de Elifas Andreato, e suas 200 páginas de denúncia viva, o livro captura em flagrante delito as atrocidades que a ditadura cometia em nosso país.

A presente edição, produzida numa parceria entre a Editora Anita Garibaldi e a Fundação Maurício Grabois, traz uma cópia fiel do “Livro Negro”, tal e qual ele circulou em sua época. Em nossos tempos de Comissões da Verdade, a releitura do “Livro Negro da Ditadura Militar” ajuda a esconjurar para sempre aquele passado sombrio, e cimentar a convicção democrática do povo brasileiro: golpe, ditadura, nunca mais!

Veja aqui a programação completa do XVI CONFUP:

http://www.fup.org.br/2012/noticias/manchetes/2223250-xvi-confup-comeca-dia-14-em-natal-com-debates-politicos-e-resgate-dos-21-anos-da-fup

Para mais informações, entre em contato com Divanilton Pereira (Diretor da Federação Única dos Petroleiros – FUP), no (21) 97674-2936, ou Christian Vasconcelos (Jornalista / Assessor do SINDIPETRO-RN), no (84) 9151-7907.

Compartilhar: