Pular para o menu
1323888315
IGUALDADE DE GÊNERO

Maior participação política das mulheres pode garantir igualdade de direitos, diz Michelle Bachelet

A diretora executiva destacou ainda a participação de mulheres na política na América Latina

14 de dezembro de 2011 às 15:45

Brasília - A diretora executiva da Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres), Michelle Bachelet, disse hoje (14) que uma das principais bandeiras para as mulheres é a maior participação política. Ela visitou, pela manhã, a sede da ONU Mulheres para o Brasil e o Cone Sul, em Brasília.

Para Michelle Bachelet, a participação feminina na política pode ajudar na garantia de igualdade de direitos. “Essa tarefa não é fácil, mas estou convencida de que este é o momento certo para que tenhamos maior participação política”, ressaltou. Também participaram do encontro a representante da ONU Mulheres Brasil e Cone Sul, Rebecca Tavares, deputadas e senadoras.

A diretora executiva destacou ainda a participação de mulheres na política na América Latina, como as presidentas da Argentina, Cristina Kirchner, e do Brasil, Dilma Rousseff. Michelle Bachelet disse que o fato de o Brasil ter uma presidenta é um exemplo para as outras nações. “O Brasil ter uma mulher no poder pode ser um exemplo para que tenhamos mais mulheres na política.”

Michele informou que menos de 10% dos cargos de governantes no mundo são ocupados por pessoas do sexo feminino. Segundo ela, no caso do Brasil, a reforma política poderia garantir maior participação.

“O Brasil tem uma mulher presidenta, tem mulheres extraordinárias em todas as áreas, mas tem baixíssima representação no Parlamento. [As mulheres] são menos de 10% na Câmara dos Deputados e cerca de 12% no Senado”, disse.

Entre as políticas brasileiras, ela destacou a Lei Maria da Penha como um exemplo a ser seguido por outros países.

A diretora executiva da ONU Mulheres fica no Brasil até sexta-feira (16). Ela deverá se reunir com a presidenta Dilma Rousseff, amanhã (15), e na sexta-feira ela irá conhecer o projeto Criança Esperança, no Morro do Cantagalo, no Rio de Janeiro. Também está previsto um encontro com o governador Sérgio Cabral e 100 líderes comunitárias.

Ela deverá ainda se reunir com o ministro da Defesa, Celso Amorim, para discutir o tema mulheres, paz e segurança.

 

 

Roberta Lopes
Repórter da Agência Brasil

Edição: Juliana Andrade

Compartilhar: