Pular para o menu
1311003149

Manutenção de aeronave da NoAr era precária, dizem técnicos

18 de julho de 2011 às 12:32

A aeronave que caiu na semana passada e matou 16 no Recife tinha problemas de ingerência.

A má utilização e manutenção inadequada foram apontadas como as causas do acidente com a aeronave da NoAr na quarta-feira (13) passada.

De acordo com reportagem do Jornal do Commercio, ex-funcionários da empresa revelaram que no último mês de abril, as duas aeronaves da NoAr tiveram os motores completamente substituídos por causa de um defeito que as deixava com baixa potência.

O problema levou a empresa a repor um dos propulsores e alugar uma aeronave à empresa Passaredo para dar continuidade às operações.

De acordo com os técnicos que foram ao Recife realizar a subsituição, o defeito foi causado pela prática da companhia de realizar voos a apenas mil pés do solo. O ideal é o dobro da altitude.

Registro furtado
Todas essas informações estavam no diário de bordo "informal" confeccionado por um dos pilotos da companhia e que foi furtado. No sábado (16), representantes da NoAr prestaram queixa na Delegacia de Boa Viagem pelo furto do documento.

Todas as informações se referem à única aeronave que restou à NoAr depois do acidente aéreo. Os documentos foram entregues a um funcionário da Rede Globo, e seu conteúdo foi veiculado neste domingo (17) no "Fantástico".

O funcionário da emissora devolvou o registro de bordo informou e que ele foi despachado anonimamente para a sede da televisão.

Os problemas relatados
De acordo com reportagem do Fantástico, 75 anotações, no intervalo entre 3 de novembro do ano passado e 9 de julho deste ano, revelam algumas deficiências da aeronava modelo LET-410, semelhante à que caiu.

Nas anotações constam problemas na potência do motor, luzes queimadas, e acessórios inoperantes dentro da aeronave, como o fone do comandante.

Em outro relato, o piloto aponta que a potência da aeronave precisou ser reduzida em 50% para manter a tempertaura no limite e concluiu sugerindo que não se disponibilizasse a aeronave antes da verificação do problema.

Anac suspende operações da empresa
Até se confirmar a veracidade das informações, a Anac decidiu pela suspensão das operações da NoAr. A agência sustenta que as informações recebidas indicam que a companhia teria adotado práticas que ferem tanto o Código Brasileiro Aeronáutico quanto regras da agência.

Segundo a Anac, os registros informais não deveriam existir e todos os problemas descritos na denúncia deveriam constar no diário de bordo.

A NoAr confirmou a utilização do registro auxiliar alegando que a postura está alinhada com a nova legislação que entra em vigor a partir de agosto deste ano.

Fonte: Nominuto.com

Compartilhar: