Pular para o menu
1465329833

Mobilizados em defesa da Petrobrás, petroleiros preparam 31º Congresso

07 de junho de 2016 às 17:03

destaque

Foto: Alexandre Domingos

Intensificar a luta em defesa da integridade do Sistema Petrobrás, do regime de regime de partilha no pré-sal e assegurar a realização de um congresso estadual com elevada representatividade. Estes são os principais objetivos da ação política que vem sendo desenvolvida nos últimos dias pela Diretoria Colegiada do SINDIPETRO-RN.

A mobilização tem em vista garantir ampla adesão ao indicativo de greve nacional de 24 horas, a ser deflagrada na próxima sexta-feira, 10 de junho. O movimento foi proposto pelo Conselho Deliberativo da Federação Única dos Petroleiros - FUP, em reunião realizada em 30 de maio, e coincide com a jornada nacional de protestos contra o golpe, agendada pelas Frentes “Povo sem Medo” e “Brasil Popular”, que deverá reunir centenas de milhares de pessoas, em dezenas de cidades brasileiras, com o brado de “Fora Temer!”.

Já, a 31ª edição do Congresso Estadual dos Petroleiros e Petroleiras do Rio Grande do Norte – CEPETRO-RN, que congregará trabalhadores e trabalhadoras da ativa, egressos de empresas públicas e privadas, além de aposentados, aposentadas e pensionistas, está programada para sábado, 11 de junho, no Parque da Cidade “Dom Nivaldo Monte”, em Natal.

Pressa – Em assembleias e reuniões setoriais realizadas diariamente, nas principais bases da categoria no Estado, petroleiros e petroleiras têm avaliado a evolução da conjuntura política e econômica nacional, juntamente com a Direção do Sindicato.

A opinião amplamente majoritária é de que o governo golpista tem pressa na aplicação da ortodoxia neoliberal e que não poupará esforços para privatizar o patrimônio público e subtrair direitos e conquistas sociais e trabalhistas.

A prova, como afirma o diretor do SINDIPETRO para a Base Natal, Ivis Corsino, é o teor das declarações emitidas pelo novo presidente da Petrobrás, logo que este assumiu o cargo. Corsino lembra que Pedro Parente afirmou que a companhia aprova a mudança na Lei de regulação do pré-sal e defendeu a venda de ativos como forma de enfrentar o endividamento.

Indicado por Michel Temer, Pedro Parente é réu em ação judicial que cobra o ressarcimento de prejuízos causados à Petrobrás, quando ocupava o chamado “Ministério do Apagão”, no governo FHC. Sua missão é esquartejar a companhia, preparando as condições para a privatização.

Assembleias – Depois de mobilizar trabalhadores e trabalhadoras da sede Natal, Guamaré, Canto do Amaro, Estreito e dos embarques do Polo e Mar, as assembleias prosseguem nesta quarta-feira, 8, reunindo os petroleiros e petroleiras da Base-34 (Mossoró), Alto do Rodrigues e da Usina Termelétrica Jesus Soares Pereira.

Além da greve de 24 horas e da participação na jornada nacional de lutas, os encontros visam organizar a participação da categoria no XXXI CEPETRO-RN. Com o tema “Em defesa da democracia, da soberania, por mais direitos e combate à corrupção”, o Congresso reunirá os delegados e delegadas inscritos até a abertura do evento.

A pauta contempla uma avaliação da conjuntura política nacional e internacional; sindicalismo; situação do setor petróleo e gestão da Petrobrás; balanço das campanhas reivindicatórias 2015/2016; lutas específicas nos setores estatal e privado; e o balanço das lutas desenvolvidas no período de 2015/2016.

As deliberações do XXXI CEPETRO-RN serão encaminhadas a VI PLENÁRIA NACIONAL DA FEDERAÇÃO ÚNICA DOS PETROLEIROS – VI PLENAFUP, prevista para acontecer no período de 6 a 10 de julho de 2016, na cidade de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro.