Pular para o menu
1405015462
Petrobrás

Mossoró deve receber novas sondas de exploração de petróleo

10 de julho de 2014 às 15:04

destaque

Foto: Christian Vasconcelos

Mossoró deve receber em breve novas sondas da Petrobras. De acordo com a assessoria de comunicação da empresa serão três equipamentos que devem gerar cerca de 150 empregos diretos.

Ainda de acordo com a assessoria, os investimentos da Petrobras na região são realizados com o objetivo de manter e ampliar a atividade de exploração e produção nas concessões vigentes, visando a incorporação de reservas e produção.

Para diretor do Sindicato dos Petroleiros e Petroleiras (SINDIPETRO/RN), Pedro Idalino, a notícia causa alívio no setor, que nos últimos quatro anos tem sofrido bastante com as retiradas de investimento na cidade, o que aumentou o desemprego na área. “Isso foi informado na última reunião que o sindicato teve com Graça Foster”, ressalta.

A categoria já teve outra reunião com o gerente-geral local que confirmou que a chegada das novas sondas está planejada ainda para este ano.

Segundo Pedro Idalino, nas duas reuniões ficou confirmado que serão seis equipamentos, sendo quatro sondas de produção e mais duas de perfuração. Para o Sindipetro, as novas sondas devem incrementar os postos de trabalho. “Em 2010 estavam operando 14 sondas de perfuração, hoje são três. De qualquer forma, para nós, não chega a retomar o número de emprego, mas já é um início”, ressalta Pedro Avelino.

Pedro afirma que o decréscimo de emprego nos setores ligados à exploração e produção de petróleo é muito grande em todo o Estado. E Por isso, o Sindipetro busca muito mais. Através da deputada Federal do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, e outros deputados envolvidos na causa, o sindicato quer conseguir uma reunião com a Agência Nacional do Petróleo (ANP). O objetivo da categoria é que a agência reguladora agilize a liberação de projetos de pesquisa no campo marítimo do Pré-sal, como o poço de Areia Branca.

O diretor explica que “quando há redução das sondas de perfuração, é abrangente. Toda a cadeia geradora de serviço, que é muito extensa, é atingida”, fala. As empresas especializadas em determinados serviços, que possuem estrutura maior, também sofrem com a diminuição de oferta e são obrigadas a buscarem outros Estados onde a demanda é maior.

Fonte: Gazeta do Oeste

Compartilhar: