Pular para o menu
1426282534
13 DE MARÇO

Mossoroenres aderem ao Ato defesa da Democracia, dos direitos e da Petrobrás

A concentração teve início por volta das 15 horas, no espaço Arte da Terra, no bairro Alto de São Manoel

13 de março de 2015 às 18:35

destaque

Foto: Deivson Mendes

Centenas de mossoroenses também deram sua contribuição para o Ato Nacional do dia 13 de março, em Defesa dos Diretos da Classe Trabalhadora, da Petrobrás, da Democracia e da Reforma Política. A concentração teve início por volta das 15 horas, no espaço Arte da Terra, no bairro Alto de São Manoel, e partiu em direção à Praça Rodolfo Fernandes, popularmente conhecida como Praça do PAX, no centro da Cidade. A atividade foi promovida pela CTB e pela CUT e contou com a participação de diversas entidades integrantes dos movimentos sociais. 

Em entrevista à assessoria de imprensa do SINDIPETRO-RN, o diretor da CTB, em Mossoró, Aldeirton Pereira, explicou os objetivos e bandeiras do Ato. “O movimento buscou mobilizar as bases sindicais contra a ameaça golpista que vem sendo insuflada pela mídia e, ao mesmo tempo, procurou reafirmar a defesa dos direitos da classe trabalhadora, da Petrobrás enquanto patrimônio do povo e a urgente necessidade de uma reforma política”, explica o diretor.

Já, o Coordenador-geral do SINTE-RN, Edward Duarte, entende que a regulamentação da mídia é urgente.  “O problema não é o que a mídia diz, é o que ela deixa de dizer. São informações seletivas”, destacou o coordenador.

Petroleiro há 35 anos, o diretor do SINDIPETRO-RN, Pedro Idalino, também deixou sua opinião registrada. “O Ato é legitimo e merece toda atenção da população, principalmente porque há uma nova tentativa de venda da Petrobrás pela direita conservadora. O sindicato dos petroleiros sempre foi e será contra a corrupção e qualquer tentativa de golpe, e isso inclui a privatização da Companhia. Por isso, não vamos nos calar”, frisou o sindicalista.

Além da CTB e CUT, participaram do Ato o SINDIPETRO-RN, Movimento dos Sem Terra – MST, militantes da Marcha Mundial das Mulheres, SINTE-RN e SindSerpum.

 

Compartilhar: