Pular para o menu
1493743084
Na Luta

Natal parou em Greve Geral contra reformas trabalhista e previdenciária

Petroleiros de Natal somaram-se à outras categorias e a sociedade para o movimento convocado pelas centrais sindicais

02 de maio de 2017 às 13:38

destaque

Foto: Arquivo

Cerca de 80 mil pessoas participaram dos protestos realizados em Natal/RN, no dia 28. Durante a Greve Geral, os petroleiros de Natal se somaram à outras categorias e a sociedade para o movimento convocado pelas centrais sindicais, que a exemplo de outras cidades do país, paralisou a capital potiguar.

Nas rodovias federais que cortam o Estado, manifestantes bloquearam o tráfego de veículos em sete pontos. Em um deles, na rotatória entre as BR’s 406 e 101 Norte, que liga Natal aos municípios de Extremoz e Ceará-Mirim.

Pela manhã, em Natal, diversos Sindicatos, incluindo o SINDIPETRO-RN, fizeram os protestos em frente aos seus postos de trabalho e prestigiaram alguns atos unificados, como o abraço simbólico ao prédio do TRT. 

Por volta das 15h, a pista da Avenida Salgado Filho no sentido Centro já estava tomada por diversas categorias, entre elas a dos petroleiros (facilmente identificada pela camisa laranja e bandeira amarela do Sindicato), correios, bancários, professores e servidores públicos.

 

Com o apoio de carros de som, milhares manifestantes se dirigiram até o condomínio onde mora o deputado federal Rogério Marinho (PSDB), relator da reforma trabalhista, e lá gritavam palavras de ordem contra o projeto.

No Rio Grande do Norte também foram registrados protestos contra as reformas trabalhista e da Previdência em Mossoró, Caicó, Currais Novos, Pau dos Ferros, Caraúbas, Assú, Guamaré. Segundo os organizadores, em Mossoró - segunda maior cidade do RN, cerca de 5 mil pessoas participaram do protesto.