Pular para o menu
1427476568
737 mil barris por dia!

Nos últimos cinco anos, produção no pré-sal cresceu 17 vezes

Nenhuma outra petrolífera no mundo alcançou uma performance como esta em tão pouco tempo

27 de março de 2015 às 14:16

Recentemente, a Petrobrás anunciou mais um recorde de produção no pré-sal: 737 mil barris por dia! Isso representa 17 vezes mais o que a empresa extraía em 2010, quando a média diária de produção no pré-sal era de 42 mil barris. Nenhuma outra petrolífera no mundo alcançou uma performance como esta em tão pouco tempo.

Só o que a Petrobrás produz atualmente no pré-sal já seria suficiente para abastecer países como Chile, Uruguai, Paraguai, Bolívia e Peru juntos. Considerada a mais importante descoberta de petróleo das últimas décadas, essa nova fronteira de produção será responsável nos próximos três anos por mais da metade de todo o petróleo e gás produzidos pela estatal.

Isso tudo só está sendo possível porque o governo brasileiro retomou os investimentos na área de Exploração e Produção (E&P), que saltaram de 3,6 bilhões de dólares, em 2002, para 27,7 bilhões de dólares, em 2013.E até 2018, deverá investir mais 153 bilhões de dólares em exploração, desenvolvimento da produção e infraestrutura.

É por isso que a Petrobrás já é a maior produtora de petróleo no mundo entre as empresas de capital aberto e também a que mais cresce em quantidade de reservas. Para cada 110 barris extraídos em 2014, a estatal brasileira acrescentou outros 105 barris às suas reservas provadas. Soma-se a isso,  o pioneirismo da Petrobrás no desenvolvimento de tecnologias para exploração em águas ultraprofundas.  Agora em maio, a empresa receberápela terceira vez o OTC, o maior prêmio do mundo do setor offshore.

SE LIGA

Nos anos 90, o projeto do governo do PSDB era enfraquecer a Petrobrás para facilitar a sua privatização. Estrangulada por orçamentos ínfimos no E&P e na área de desenvolvimento e tecnologia, a empresa chegou em 2002 com reservas e produção aquém de suas possibilidades. Como dizem as lideranças sindicais, a Petrobrás estava na UTI, em coma, mas os trabalhadores tiveram a chance de resgatá-la e transformá-la em uma gigante do setor energético.

Recuperada e fortalecida, a estatal dobrou nos últimos 12 anos a produção de óleo e gás que levou 40 anos para alcançar, descobriu o pré-sal e hoje já tem reservas provadas de 16,612 bilhões de barris de petróleo e pelo menos outros 22 bilhões que ainda aguardam declaração de comercialidade. É essa Petrobrás vitoriosa que tanto incomoda aqueles que tentaram privatiza-la e agora, novamente, atacam a empresa para abocanhar o pré-sal.

 

Pesquisa do Datafolha revela que brasileiros são contra privatização da Petrobrás

Apesar da campanha diária da mídia para tentar criminalizar a Petrobrás pelos erros de ex-gestores envolvidos em casos de corrupção, os brasileiros continuam acreditando na empresa e são contrários à sua privatização. É o que revela a pesquisa do Datafolha divulgada no último dia 22, onde 61% dos entrevistados disseram não à perda do controle estatal sobre a Petrobrás. Segundo o instituto, a venda da empresa foi rejeitada em todas as faixas de renda, idade e escolaridade, em todas as regiões do país, independentemente de inclinação partidária. A pesquisa foi realizada nos dois dias seguintes às manifestações golpistas do dia 15, organizadas por grupos que pregam o impeachment da presidente Dilma. O Datafolha ouviu 2.842 pessoas. Apenas 24% dos entrevistados disseram concordar com a privatização da Petrobrás; 5% se disseram indiferentes e os outros 10% não responderam. 


Compartilhar: