Pular para o menu
1319486286
CONDIÇÕES DE RISCO

P-35 é interditada pelo Ministério Público do Trabalho

MP constatou que há condições de risco no sistema de gás inerte,e no tanque SLOP de água produzida

24 de outubro de 2011 às 16:58

A P-35 foi interditada hoje, 21, pela fiscalização do MPT (Ministério Público do Trabalho), que após o embarque na unidade ontem, 20, constatou as condições de risco no sistema de gás inerte, desde a sua geração até os insufladores nos tanques, por conta do vazamento de monóxido de carbono, e no tanque SLOP de água produzida, por conta do vazamenteo de  H2S. A Petrobrás já foi notificada a respeito e a consequência dessa interdição é a parada da unidade.

Isso aconteceu após realização do pedido de interdição da unidade feito pelo sindicato junto à ANP (Agência Nacional do Petróleo), MPT (Ministério Público do Trabalho), SRTE (Superintendência Regional do Trabalho e Emprego) e Marinha. Referendaram esse pedido de interdição 126 trabalhadores da Petrobrás e de empresas privadas do setor petróleo, que realizaram assembleia histórica seguindo indicativo do NF. 

A P-35 é a plataforma onde 80% dos trabalhadores tiveram contato com o monóxido de carbono (CO) e que 22 petroleiros desembarcaram para atendimento médico, em 26 de setembro passado. Com 194 petroleiros a bordo, a Petrobrás manteve, na época, a produção de petróleo na unidade, de 60 mil barris/dia, com a utilização de máscaras de gás para os trabalhadores.

O Sindipetro-NF recebeu informação que nessa madrugada ocorreu contaminação de 2 PPM de gás sulfídrico nas acomodações. Essa notícia foi confirmada hoje, pela Petrobrás em reunião com o MPT.

Fonte: SIndipetro-NF

Compartilhar: