Pular para o menu
1486733130
Setor Privado

Para não contratar, PROGEL Engenharia quer implantar “Banco de Horas”

Sindicato é contrário à medida, mas vai ouvir trabalhadores sobre o assunto

10 de fevereiro de 2017 às 10:25

destaque

Foto: Deivson Mendes

Com a justificativa de “ausência de mão de obra qualificada no mercado”, a Administração da PROGEL Engenharia tem planos de implantar um “Banco de Horas” no regime de trabalho da empresa. O assunto foi tratado em reunião realizada nesta quinta-feira, 9, na subsede do SINDIPETRO-RN, em Mossoró, com a presença do secretário geral da entidade, Pedro Lúcio, do assessor jurídico, Mário Jácome, e da advogada da empresa, Ligia Duarte.

De acordo com a representante da PROGEL, o Banco de Horas teria por objetivo suprir a necessidade da empresa em manter por mais tempo, em escalas pré-definidas, trabalhadores do setor técnico da área de mapeamento e topografia. “Precisamos manter por mais tempo alguns colaboradores que já tenham experiência com o trabalho, a fim de evitar atrasos nas demandas e descumprimentos do contrato com a Petrobrás”, explica.

Ligia ainda ressalta que a equipe perdeu trabalhadores para outras empresas concorrentes, o que resultou em aumento das demandas diárias, mas que estas poderiam ser supridas por intermédio de um “Banco de Horas”.

O secretário geral do SINDIPETRO-RN, Pedro Lúcio, destaca que a direção da entidade é contrária à implantação de qualquer medida que flexibilize relações de trabalho e possa prejudicar a integridade física e mental dos trabalhadores, incluindo a ampliação de jornadas não autorizadas. “Esse tipo de proposta não conta com a simpatia da entidade mas, de toda forma, vamos levar o pleito da empresa para discussão com os trabalhadores”, informa.

Nos próximos dias, o SINDIPETRO-RN estará divulgando as datas e locais das assembleias para debater o assunto com a categoria.

ACT 2017/18 – Com data-base em 1º de maio, a Direção do Sindicato informa aos trabalhadores e trabalhadoras da PROGEL que a campanha de renovação do Acordo Coletivo terá início em abril, com agendas para assembleias definidas em edital de convocação. Até 2019, a PROGEL terá que manter dois contratos com a Petrobrás voltados para geodesia e mapeamentos terrestres.

Compartilhar: