Pular para o menu
1333627156

Petrobras tem sinal verde para gerar energia solar no RN

05 de abril de 2012 às 08:59

A Petrobras recebeu sinal verde da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para executar o projeto de pesquisa e desenvolvimento de uma usina de energia solar de 1,1 Mega watts (MW) em Alto do Rodrigues, a 200 quilômetros de Natal. Orçada em R$ 20,9 milhões, a usina fornecerá energia para a própria companhia. A expectativa é que comece a operar até o segundo semestre de 2014.

O projeto, revisado e reavaliado pela Aneel em março, chegou a ser enviado de volta para que a companhia corrigisse distorções, como antecipou a TRIBUNA DO NORTE no domingo passado. Nem a Aneel nem a Petrobras esclareceram, entretanto, que distorções seriam essas. A equipe de reportagem entrou em contato com a companhia, mas não obteve retorno até o fechamento da edição. 

A Petrobras não respondeu quais serão os próximos passos nem se a usina gerará energia em escala comercial num segundo momento. A superintendência de pesquisa e desenvolvimento e eficiência energética da Aneel, por sua vez, se limitou a dizer que o projeto deve ser iniciado em breve.

A aprovação do projeto foi divulgada às vésperas da votação  de dois regulamentos que prometem incentivar a geração e o consumo de energia solar no país. A Aneel vota este mês - segundo previsão da coordenação de energia solar fotovoltaica do Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia do RN (Cerne) - regulamentação que libera a instalação de pequenas centrais geradoras de energia elétrica (com potência instalada menor ou igual a um Mega watt (MW) em empresas e residências) e concede maior desconto para quem instalar usinas de energia solar com até 30 MW. 

Várias empresas já demonstraram interesse em investir em energia solar dentro e fora do Rio Grande do Norte. O potencial do estado é cinco vezes maior que o da Alemanha, um dos países que mais avançaram nesta área, e já desperta o apetite dos investidores. 

No caso da Petrobras,  o projeto, que começará a ser desenvolvido este ano, contribuirá, segundo a companhia, para aperfeiçoamento dos dados públicos sobre geração de energia solar (fotovoltaica), para a expansão da rede de laboratórios de ensaios e certificação de equipamentos, e para a formação de profissionais de nível técnico e superior dedicados a essa área. Para o desenvolvimento do projeto será implantada uma plataforma experimental de 10 kW, como modelo de usina, no Laboratório de Eletrônica de Potência e Energias Renováveis do Departamento de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

O Centro de Tecnologias Renováveis do Gás & Energias Renováveis (CTGAS-ER), núcleo de pesquisa e formação da Petrobras em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), também receberá seis estações de captação de dados de energia solar que funcionarão de forma complementar ao Sistema Nacional de Organização de Dados Ambientais (Rede Sonda) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Uma estação desse tipo já está em operação na usina termelétrica (UTE) Jesus Soares Pereira, área onde a usina será instalada, desde julho de 2011. O CTGAS-ER terá um laboratório para homologação dos equipamentos utilizados em sistemas de geração fotovoltaica, além de um centro de capacitação e certificação de pessoal. Em Natal, 90% dos hotéis já usam essa fonte de energia para aquecer água.

Usina de biodiesel será 'comercial'

Esse não foi o único projeto apresentado pela Petrobras para o Rio Grande do Norte durante a semana. A companhia também vai transformar a planta experimental de biodiesel, localizada no polo industrial de Guamaré, em uma usina comercial. O projeto foi apresentado ontem à governadora Rosalba Ciarlini. 

Durante a reunião, o diretor de biodiesel da Petrobras Biocombustível, Alberto Fontes, afirmou que o RN será o primeiro no mundo a trabalhar o conceito de biorrefinaria integrada, mas não explicou o conceito, não detalhou o projeto,  não citou datas, nem informou quanto será investido. "Precisamos de algumas modificações e que estão previstas até o final do ano", limitou-se a dizer. 

A equipe de reportagem solicitou mais detalhes  do projeto, mas a companhia só os enviará hoje. A ideia de transformar a planta experimental em usina comercial é antiga. A Petrobras já havia levantado esta possibilidade outras vezes. 

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Benito Gama, lembrou de outras reuniões com a Petrobras em que esses temas foram discutidos para o crescimento do RN. 

Tribuna do Norte

Compartilhar: