Pular para o menu
1348790407
CAMPANHA REIVINDICATÓRIA

Petroleiros avisam: nova paralisação será por tempo indeterminado!

No Rio Grande do Norte, greve de advertência contou com forte adesão nas áreas operacionais

27 de setembro de 2012 às 21:00

destaque

Foto: Gilson Sá

O recado foi dado. Caso a Petrobrás não apresente contraproposta satisfatória para a renovação das cláusulas econômicas do Acordo Coletivo de Trabalho, os petroleiros norte-rio-grandenses poderão entrar em greve, a partir de 10 de outubro. Só que, desta vez, por tempo indeterminado. A disposição ecoou em atos e manifestações realizadas em Mossoró, Guamaré e nas Plataformas, durante a paralisação nacional de advertência, realizada no dia 26 de setembro.

Em Mossoró, trabalhadores e trabalhadoras dos campos de Canto do Amaro e do Riacho da Forquilha, além da Transpetro, concentraram-se na entrada da Base 34, onde foi realizado um “trancaço”. A mobilização impediu o ingresso e a saída de veículos naquela unidade durante todo o dia 26 e contou com ampla cobertura da imprensa local.

Na ocasião, os manifestantes reafirmaram a necessidade de ganho real para os salários, proporcional à valorização e ao crescimento que vem sendo experimentado pela Companhia nos últimos anos. A deterioração das relações de trabalho, com o crescimento das práticas de assédio moral, a terceirização desenfreada e a insegurança também foram duramente criticadas.

Outras áreas – Nas plataformas marítimas, a adesão ao movimento foi estimada em 90%. Trabalhadores e trabalhadoras atenderam ao chamamento da FUP e sindicatos e se incorporaram ao movimento nacional, suspendendo a emissão de PT´s e os vistos das PTT`s. Já, no Polo Guamaré, o “trancaço” contou com gigantesca adesão, fechou todos os pontos de acesso à unidade e também durou todo o dia 26. A movimentação começou por volta das seis da manhã, quando chegava o pessoal para a troca de turno.

O Sindicato iniciou a concentração conclamando a categoria para se reunir no pátio da entrada principal do Polo. Demonstrando consciência de classe, muitos trabalhadores terceirizados juntaram-se à manifestação, expressando sua solidariedade. Motoristas que chegavam ao local, fossem em caminhões-tanque ou em ônibus de transporte de trabalhadores, estacionavam os veículos e dirigiam-se para o local da manifestação. Do Polo, só saíram os que passaram o turno da noite e que precisavam se ausentar ou os que vinham para se somar à luta.

Durante todo o dia, diretores do Sindicato revezaram-se no microfone para falar sobre a importância da unidade da categoria nas lutas por melhores salários e condições de trabalho. Nesta sexta-feira, 28, o Conselho Deliberativo da FUP volta a se reunir para discutir um novo calendário de lutas. Se a Petrobrás não apresentar proposta satisfatória, os petroleiros poderão ser a próxima categoria de trabalhadores estatais a entrar em greve por tempo indeterminado.

Natal - Na Sede Natal, o Sindicato promoveu uma concentração em frente ao Banco do Brasil. O movimento contou com a adesão deaproximadamente 50 trabalhadores e se estendeu até às 10 horas, com vários oradores revezando-se no carro de som.  

Compartilhar: