Pular para o menu
1432913009

Petroleiros participam do Dia Nacional de Manifestações em Defesa de Direitos Trabalhistas

29 de maio de 2015 às 12:23

destaque

Foto: Gilson Sá

Com o objetivo de debater a conjuntura política do país, apoiar a realização do Dia Nacional de Paralisações e Manifestações em Defesa dos Direitos Trabalhistas e informar sobre o pagamento da Participação nos Resultados da Petrobrás, o SINDIPETRO-RN promoveu uma assembleia extraordinária, na manhã desta sexta-feira, 29, em frente ao portão principal de entrada da Sede Administrativa da Companhia, em Natal.

Durante as intervenções, os participantes defenderam a unidade de ação de todas as forças políticas atuantes no movimento sindical como requisito fundamental para a garantia de manutenção dos direitos conquistados pelos trabalhadores ao longo dos anos. Divergências político-ideológicas e diferenças pessoais também foram consideradas questões menores diante da necessidade de enfrentamento da maré conservadora, que caracteriza a atual conjuntura política brasileira.

Abordando temas específicos da categoria, os trabalhadores também levantaram problemas relacionados à AMS e ao Benefício Farmácia, que precisam de uma atenção ainda maior do movimento sindical. E, sobre a Participação nos Resultados da Petrobrás, além das lutas que garantiram o estabelecimento de regras para o pagamento, foi relembrada a existência de um prazo de cinco anos para que a categoria decida se a forma de pagamento deve continuar como está ou se precisará mudar.

Articulado pelas principais centrais sindicais brasileiras, a realização da manifestação de hoje foi referendada pelo 30º Congresso Estadual dos Petroleiros e Petroleiras do Rio Grande do Norte – CEPETRO-RN. No período da tarde, será promovido um ato unitário na capital potiguar envolvendo diversas categorias profissionais e movimentos sociais, com concentração inicial às 14h, no largo do Baldo – Centro da Cidade.

Alto do Rodrigues – Como forma de se solidarizarem com a luta pelo fim do Regime Administrativo no campo e, ao mesmo tempo, demonstrarem sua indignação com o PL da Terceirização (4330) e as MPs 664 e 665, trabalhadores e trabalhadoras de prestadoras de serviço, nas bases de Alto do Rodrigues (ATP-ARG), decidiram paralisar atividades já na última quinta-feira, 28. Com forte adesão, eles permaneceram concentrados em frente às instalações da Empresa.

 

Compartilhar: