Pular para o menu
1326374275

PI: estudantes param trânsito em 8º dia de protesto; 9 seguem presos

12 de janeiro de 2012 às 10:17

No oitavo dia de protestos, estudantes voltaram a interromper o trânsito em Teresina nesta quarta-feira contra o reajuste na tarifa de ônibus. Hoje não houve confronto com a Polícia Militar, e o ato homenageou os nove estudantes presos ontem. Eles foram transferidos para presídios da capital piauiense, pois não tiveram condições de pagar a fiança de dez salários mínimos (R$ 6,2 mil), estipulada pelo delegado de plantão na Central de Flagrantes. No total, 17 foram detidos.

O movimento é contra o reajuste de R$ 1,90 para R$ 2,10 na passagem de ônibus, e reinvindica mudanças no modelo de integração das linhas implantadas pela prefeitura da capital.

Por volta das 6h, o tráfego ficou interrompido na avenida Frei Serafim, principal via de acesso ao centro de Teresina, e que tem circulação de 40 mil veículos por dia. Com faixas, máscaras e cartazes, os manifestantes circularam por toda a via e, no local das prisões, sentaram e cantaram o Hino Nacional.

Lorena Varão, estudante de Direito, informou que o movimento entrou com uma ação pedindo a soltura dos presos e anistia da fiança. "Estamos também na rua contra atos de criminalização contra o protesto", disse. Os manifestantes prometeram interditar o centro da cidade e a avenida Frei Serafim em novo ato na quinta-feira.

O Ministério Público Estadual está intermediando uma tentativa de acordo entre estudantes e a prefeitura de Teresina. O promotor de Justiça, Fernando Santos, propôs que o movimento seja suspenso, caso a prefeitura abra canal de negociação.

O prefeito de Teresina, Elmano Férrer (PTB), garantiu que os protestos na avenida Frei Serafim não o obrigarão a recuar no processo de integração das linhas de ônibus. Ele disse que está tranquilo e que as mudanças são esperadas há mais de 20 anos na capital. Em pronunciamento, Férrer condenou os atos que classificou de vandalismo, e garantiu que está aberto para receber sugestões e críticas, mas não aceitará depredações ou ato de violência.

Terra

Compartilhar: