Pular para o menu
1433273508
Petróleo

Produção no pré-sal bate novo recorde e Petrobrás avança

Sem novas áreas, tendência declinante da produção norte-riograndense persiste

02 de junho de 2015 às 16:31

destaque

Foto: Arquivo

Apesar de toda a campanha de desgaste promovida pela mídia monopolista, a Petrobrás continua a bater recordes. Em 11 de abril, a companhia alcançou a marca 802 mil barris de óleo equivalente (boe/d) extraídos em um único dia nos campos do pré-sal. Já, a média diária do mês de abril para aquela área ficou em 715 mil boe/dia.

Além disso, a Petrobrás confirmou, em 29/05, a descoberta de petróleo de boa qualidade em águas ultraprofundas do pré-sal da Bacia de Santos, na área de Carcará. E, em 1º/06, informou a descoberta de uma nova acumulação de petróleo em águas ultraprofundas da Bacia de Sergipe, localizada a 23,5 km do poço descobridor, em lâmina d’água de 2.479 metros.

Rio Grande do Norte – Apesar de se manter praticamente estável na comparação com o resultado obtido em março, a produção histórica de petróleo e gás natural do Rio Grande do Norte continua em declínio. Segundo dados publicados pelo Boletim Mensal da Agência Nacional de Petróleo – ANP, a média extraída no mês de abril, nos 83 campos produtores que se encontravam em atividade no Estado, foi de 64.736 boe/dia. O volume significa um crescimento de 0,62% em relação ao mês anterior, mas uma diminuição de 3,74%, quando comparado a abril de 2014. 

MÊS

PRODUÇÃO 2014

CAMPOS

PRODUÇÃO 2015

CAMPOS

VARIAÇÃO 2015 / 2014

JANEIRO

66.387

81

65.282

83

-1,66%

FEVEREIRO

67.883

81

65.513

84

-3,49%

MARÇO

67.615

81

64.333

83

-4,85%

ABRIL

67.252

83

64.736

83

-3,74%

 Canto do Amaro, na região oeste potiguar, com 1.091 poços, é o campo com o maior número de poços produtores no Brasil, alcançando média de 17 mil barris/dia. É também o 20º maior do país em produção de petróleo, sendo o segundo em terra. Nesta condição, perde apenas para Carmópolis, em Sergipe, responsável por uma produção média de 18 mil barris/dia. Para que se tenha uma ideia aproximada da grandeza do pré-sal, em um único poço (7SPH7DSPS), no campo de Sapinhoá, na Bacia de Santos, foram produzidos, durante o mês de abril, em média, 48.962 boe/dia. O equivalente a 75% de toda a produção potiguar. 

Compartilhar: