Pular para o menu
1310735535

Queda de Vale e Petrobras derruba bolsa brasileira

15 de julho de 2011 às 10:12

As ações preferenciais da Petrobras (PETR4) e da Vale (VALE5) perdiam 1,67% e 0,82%, respectivamente. Amparado no desempenho negativo das blue chips, o Ibovespa ignora a tentativa de recuperação externa e segue trajetória de queda nesta quinta (14/7), após alta de 1,62% no pregão da véspera. "O índice continua pesado. Mesmo com a alta de ontem, esse movimento de queda é exagerado, porque não tem uma justificativa", ponderou João Pedro Brugger, analista da Leme Investimentos. Há pouco, o Ibovespa recuava 1,37%, aos 59.841 pontos. O giro financeiro rondava os R$ 2,149 bilhões. As ações preferenciais da Petrobras (PETR4) e da Vale (VALE5) perdiam 1,67% e 0,82%, respectivamente.

Destaques

Entre as ações que compõem o índice paulista, as ordinárias da Brasil Foods (BRFS3) lideravam os ganhos, com alta 2,73%, aos R$ 29,33. O movimento segue a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) do processo de fusão entre Sadia e Perdigão. Na véspera, as ações subiram 9,8%. Na outra ponta, a maior queda do dia era dos papéis da Rossi Residencial (RSID3), que depreciavam 3,29%, cotados a R$ 11,74.

Câmbio

No mercado de câmbio, o dólar registrava estabilidade em relação ao real, cotado a R$ 1,5720 na compra e R$ 1,5740 na venda.

Cena externa

Contrariando a expectativa dos analistas, resultados corporativos e indicadores econômicos vieram acima do esperado e levam certo ânimo aos principais índices de Wall Street. "O mal-estar criado pela Moody's ontem, ao colocar a nota dos Estados Unidos em revisão, foi parcialmente dissipado hoje", avaliou Brugger.

A agência de classificação de risco colocou o rating "Aaa" dos Estados Unidos sob revisão para possível rebaixamento, em meio às discussões no Congresso americano para elevar o limite da dívida pública do país, atualmente em US$ 14,3 bilhões. "É muito remoto não elevar o teto da dívida", acredita o analista. Dentre os indicadores, o número de novos pedidos de auxílio-desemprego recuou em 22 mil na última semana, para 405 mil solicitações. O indicador veio melhor do que o estimado por analistas, que esperavam 410 mil novas solicitações.

O volume das vendas ao mercado varejista americano subiu 0,1% em junho, ficando acima das expectativas (-0,2%). Adicionalmente, o JPMorgan registrou lucro líquido de US$ 5,4 bilhões no segundo trimestre de 2011, valor 13% superior ao ganho de US$ 4,8 bilhões observado um ano antes, puxado pela divisão de investimentos.

Dessa forma, o índice Standard & Poor's 500 subia 0,10%, para 1.318,99 pontos. O índice Nasdaq, termômetro de tecnologia, caía 0,10%, para 2.794,09 pontos. Já a referência da Bolsa de Nova York, o Dow Jones, ganhava 0,20%, aos 12.517,00 pontos. Na Europa, ganha destaque a aprovação pelo Senado italiano do plano de austeridade para amenizar a dívida fiscal do país. Na sexta-feira (15/7), será divulgado o resultado do teste de estresse implementado nas instituições financeiras da Zona do Euro.

Fonte: Brasil Econômico

Compartilhar: