Pular para o menu
1402606423
Reivindicações

Sindicato discute demandas com Gerência Geral da UO-RNCE

Encontro foi desdobramento da audiência do Sindicato com a presidenta Graça Foster

12 de junho de 2014 às 17:53

destaque

Foto: Arquivo

Regimes de trabalho, redução de efetivos, controle de frequência, pagamento de horas extras, terceirização, assédio moral, práticas antissindicais e o novo procedimento para apresentação de atestado médico. Estes foram os principais assuntos abordados pelo SINDIPETRO-RN, na reunião com o Gerente Geral da UO-RNCE, Luis Ferradans, realizada na última quarta-feira, 11, na sede administrativa da Petrobrás, em Natal.

Aberto com uma exposição sobre o Plano de Negócios e Gestão para o período 2014-2018, com enfoque para os investimentos, projetos e metas da Petrobrás para a UO-RNCE, o encontro foi um desdobramento da audiência concedida ao Sindicato pela presidenta da Petrobrás, Graça Foster, quando de sua recente visita ao Polo Guamaré. Em perspectiva, o SINDIPETRO-RN aguarda o agendamento de reunião com o Gerente Executivo do E&P - N/Ne, Mauro Mendes.

Pontos em debate na reunião – Com relação aos regimes de trabalho, os diretores do Sindicato criticaram o desvirtuamento que vem sendo praticado no Polo Guamaré e cobraram a manutenção de todos os padrões previstos no Acordo Coletivo de Trabalho – ACT, com extensão e isonomia de direitos para as áreas operacionais do Ativo de Produção do Alto do Rodrigues (ATP-ARG), do Ativo de Produção de Mossoró (ATP-MO), e para a Termoaçu (UTE-JSP), localizada no ATP-ARG.

No que diz respeito aos efetivos, o Sindicato criticou a redução de postos, a movimentação injustificada de pessoal e a substituição por terceirizados. Também manifestou preocupação com a crescente sobrecarga de trabalho e o acúmulo de tarefas, com consequências para a saúde dos trabalhadores e a segurança das áreas, cobrando a imediata convocação de concurso público para preenchimento das vagas remanescentes do Plano de Incentivo à Demissão Voluntária – PIDV.

Outro tema tratado na reunião foi a discrepância entre os padrões de controle de frequência e pagamento de horas extras nacionalmente adotados pela Companhia, e aquele que vem sendo praticado no Polo Guamaré. Os diretores denunciaram a distorção de regras e a manipulação de informações, cobrando o fim do dreno dos pontos; o pagamento correto do HECC para saldos acima de 14 dias; o pagamento correto do dia de trabalho para o empregado convocado na folga; o fim do Banco de Horas, entre outras reivindicações.

No tocante à terceirização, a crescente precarização das relações de trabalho nas empresas privadas foi o assunto predominante. O Sindicato reclamou mais rigor da Petrobrás nos processos de contratação de serviços, e maior acompanhamento e apoio às atividades de fiscalização de contratos, a fim de que a burla aos direitos trabalhistas – fato que infelizmente tem se tornado comum – seja firmemente coibida.

Assédio – O assédio moral associado às práticas antissindicais também foi discutido com a Gerência Geral da UO-RNCE. A conduta característica do estilo de direção de alguns gerentes e supervisores revela falta de aptidão para liderar equipes, seja pelo (mau) exemplo, pela (in) capacidade de convencimento ou, ainda, pela falta de transparência e espírito democrático, gerando atritos desnecessários e rebaixamento da ambiência nos locais de trabalho.

Incapacidade de ouvir e dialogar antes de promover mudanças também parece ser um mal dos gestores responsáveis pelos Serviços Compartilhados. Pelos menos é o que se pode constatar diante das reações de indignação com que o novo procedimento para apresentação de atestados médicos foi recebido pelos trabalhadores. O Sindicato qualificou as novas regras como “burocráticas” e citou diversos exemplos de casos em que o padrão adotado revela-se inadequado ou mesmo impraticável.

Encaminhamentos – Ao final da reunião, diante do volume de questões apresentadas e debatidas, foi acertada a formação de três comissões de trabalho, com participação de representantes do Sindicato e da Petrobrás, a fim de analisar os problemas de forma pontual e mais aprofundada.

Compartilhar: