Pular para o menu
1439387202
Debate

SINDIPETRO-RN discute conjuntura, Petrobrás e traça encaminhamentos

12 de agosto de 2015 às 10:46

destaque

Foto: Gilson Sá

Atualizar a análise da conjuntura, fazer um balanço do andamento da campanha dos trabalhadores em defesa do Sistema Petrobrás e definir novos encaminhamentos para a continuidade da luta. Estes foram os principais objetivos da reunião da Diretoria Colegiada do SINDIPETRO-RN, realizada na manhã desta terça-feira, 11, em Natal.

O Diretor de Comunicação da entidade, Márcio Dias, abriu a discussão com um informe especial sobre a situação internacional e nacional, destacando a importância da defesa da integridade do sistema Petrobrás e do modelo de exploração do pré-sal, em meio à crise econômica mundial que se arrasta desde 2008 e à crise política que ameaça a democracia no Brasil.

Para Márcio Dias, “depois de atingir duramente os EUA e a Europa, a crise econômica afetou a geopolítica, interferindo na ordem internacional”. Em consequência do declínio da liderança econômica dos EUA e da União Europeia, “ganhou espaço no cenário mundial um arranjo liderado pela China, com participação do Brasil, Rússia, Índia e, mais recentemente, da África do Sul”.

Para Márcio Dias, esse campo, que posteriormente veio compor o Brics, “tem sido visto como uma ameaça à hegemonia das potências capitalistas tradicionais”. Não por acaso – exemplifica o diretor, “a União Europeia tenta isolar a Rússia, a partir da Ucrânia, e as tentativas de desestabilização de governos progressistas na América do Sul se multiplicam”.

Na opinião de Márcio, os EUA ainda “detém amplo poderio militar e influenciam as elites dominantes nos países do continente sul-americano, respaldando iniciativas golpistas”. Por isso, ele afirma que não temos o direito de ser ingênuos com relação aos ataques que a Petrobrás vem sofrendo: “O petróleo é um bem estratégico, que desperta grande cobiça, e o pré-sal é uma reserva extraordinária que, embora ainda não tenha sido totalmente dimensionada, poderá levar o Brasil a um novo estágio de desenvolvimento”.

Em busca de saídas

A necessidade de levar os trabalhadores a conhecerem mais e melhor a situação por que passa a Petrobrás foi a preocupação central da segunda intervenção especial feita durante a reunião da Diretoria do SINDIPETRO-RN. Organizada e apresentada pelo Delegado Sindical de Base da Sede Natal, Ivis Corsino, a explanação baseou-se, principalmente, nos resultados consolidados obtidos pela Petrobrás no primeiro semestre de 2015, em desempenhos anteriores da própria companhia, e em vários dados referentes à indústria petrolífera mundial.

Para Ivis Corsino, de fato, a Petrobrás enfrenta diversos problemas relacionados a endividamento, queda de preços, redução de lucro líquido, desvalorização de ações, perda de valor de mercado, entre outros. Mas, segundo ele, “é preciso que os trabalhadores entendam a lógica pela qual esses problemas são observados e analisados, identificando o ponto de vista de cada ator envolvido direta ou indiretamente com a Petrobrás e a indústria do petróleo no Brasil e no mundo”.

Dessa forma, entende Ivis, será possível aos trabalhadores perceberem de que maneira os interesses de cada segmento ou setor se refletem em propostas de solução para os impasses que a companhia enfrenta. Na opinião de Ivis, por exemplo, “desfazer-se de ativos numa ocasião em que estes se encontram desvalorizados é, no mínimo, um contrassenso”. E, ainda mais grave, se, neste momento, eles estiverem situados em áreas que agregam valor, compensando a queda dos preços da matéria-prima no lucro operacional da companhia, como são o Abast e o Transporte.

Para Ivis Corsino, conhecer em profundidade a situação econômica, financeira e operacional da empresa é um requisito indispensável para que o movimento sindical petroleiro possa se posicionar corretamente, em defesa dos interesses do acionista majoritário, que é o povo brasileiro. “Precisamos estar dentro e participar efetivamente da discussão sobre os destinos da Petrobrás”, conclamou o diretor.

Encaminhamentos

Ao final da reunião, os diretores presentes aprovaram um conjunto de encaminhamentos para fortalecimento da luta em defesa da integridade do Sistema Petrobrás, do Modelo de Partilha para a exploração do pré-sal, contra o corte de investimentos e a venda de ativos. Entre outras ações, o SINDIPETRO-RN deverá continuar fortalecendo as iniciativas nacionais que se desenvolvem no âmbito do Congresso Nacional contra o PLS 131.

A entidade também deverá apoiar, em âmbito regional, o trabalho da Frente Parlamentar em Defesa da Petrobrás, e, com o apoio da Federação dos Municípios, principalmente nas cidades que sediam atividades relacionadas à indústria do petróleo, estimular a participação de atores políticos locais na luta em defesa da Petrobrás, com a realização de audiências públicas, envolvendo diversos segmentos sociais.

Outra importante deliberação da reunião foi a mobilização da categoria petroleira para fortalecer a programação do Dia Nacional de Manifestações em defesa dos direitos sociais e trabalhistas, da liberdade e da democracia, contra a ofensiva da direita e por saídas populares para a crise. Agendada para o próximo dia 20 de agosto, esta mobilização tem caráter amplo, incluindo, entre as suas principais bandeiras, a defesa do pré-sal e de uma Petrobrás 100% estatal.

Veja, a seguir, o calendário de reuniões setoriais:

Dia

Local

Quarta-feira (12/08)

Base-34 / Canto do Amaro

Quinta-feira (13/08)

Porto de Guamaré / Polo Guamaré / S-7

Sexta-feira (14/08)

Sede Natal / Base-34

Segunda-feira (17/08)

Sede Natal / Base-34

Terça-feira (18/08)

Sede Natal / Base-34

Quarta-feira (19/08)

Sede Natal / Base-34

Compartilhar: