Pular para o menu
1327752926
Segurança

SINDIPETRO-RN entrega pauta de reivindicações à gerência de E&P

A estatal deverá responder documento em reunião no próximo dia 07 de fevereiro, com o gerente Luiz Ferradans

28 de janeiro de 2012 às 09:15

destaque

Foto: Arquivo

Reunido na tarde desta sexta-feira, 27 de janeiro, com o Gerente Executivo de E&P do Norte e Nordeste da Petrobras, Cristovam Penteado, o SINDIPETRO-RN cobrou ações contundentes para garantir a saúde, segurança e integridade dos petroleiros nos locais de trabalho.

A discussão aconteceu na sede da Petrobras, no Rio de Janeiro, e, além do gerente Cristovam Penteado, contou com a presença do coordenador geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP), João Antônio Moraes, e do coordenador geral do SINDIPETRO-RN, Márcio Dias.

O coordenador geral da FUP, João Antônio Moares, abriu o debate com uma explanação sobre os motivos que levaram a solicitação do encontro, e ressaltou a necessidade da estatal aprofundar a discussão sobre práticas de Educação, Segurança, Meio Ambiente e Saúde, através do Fórum Nacional e Comissões de SMS, bem como sobre o fortalecimento das CIPA's e Sindicatos, com o objetivo de envolver a categoria, intensificando a luta para combater os acidentes de trabalho.

“A cobrança das entidades sindicais refletem a orientação da Federação para que se intensifique a luta visando combater as práticas gerenciais que não levam em conta a defesa da vida”, enfatizou Moraes.

Em seguida, o coordenador geral do SINDIPETRO-RN, Márcio Dias, fez a apresentação do documento aprovado pela categoria durante assembleia realizada no Porto de Guamaré, no último dia 26 de janeiro, e que marcou um mês da morte do técnico de segurança, Aldo Dias, na Plataforma Ubarana III (PUB-03). Ao final da explanação, o documento, assinado conjuntamente com o Sindipetro-CE/PI, foi entregue ao Gerente Executivo de E&P N/NE, Cristovam Penteado.

Márcio Dias solicitou um posicionamento da empresa em relação às reivindicações da categoria, que inclui, entre outros pontos, a abolição da cesta como meio de transporte de trabalhadores, a recuperação dos heliportos , socorro aeromédico, substituição dos guindastes antigos e operação destes equipamentos apenas por profissionais habilitados e contratados para esse fim e implementação de um cronograma de manutenção preventiva e corretiva.

Para Dias, o acidente na PUB-03 “reacende a discussão sobre a necessidade de revisão na política de segurança nas unidades de produção da Petrobras”, e demonstra que que os investimentos em segurança não têm crescido na mesma proporção em que aumenta a produção de petróleo e, por conseqüência, as atividades no setor. “Não dá para acelerar a produção sem levar em conta a segurança. A sequência de acidentes está aí para demonstrar que o sistema não é seguro”.

O gerente de E&P, Cristovam Penteado, fez apontamentos sobre todos os pontos apresentados e um relato sobre a situação do Ativo Mar. Segundo Penteado, é de interesse da empresa buscar alternativas para resolver os problemas, comprometendo-se em apresentar, através da gerência local da UO-RN/CE, as respostas ao documento em reunião a ser realizada no próximo dia 7 de fevereiro, com o gerente geral da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Petrobras no Rio Grande do Norte, Luiz Ferradans Mato.


Natal/RN, 27 de janeiro de 2012.

À Petrobras UO-RNCE
Att.: Sr. Cristivam Penteado   -  Gerente Executivo de E&P N/NE

Senhor Gerente,

Cumprimos o dever de comunicar que passados 30 (trinta) dias do acidente ocorrido no dia 26 de dezembro/2011 na PUB-3 - acidente esse que vitimou o nosso companheiro Aldo Dias de Lima e deixou mais 2 companheiros feridos, sendo um com graves danos a sua saúde - os trabalhadores e trabalhadoras da Petrobrás e do Setor Privado Terceirizados - do Ativo Mar desta Unidade Operacional, estiveram reunidos em assembléia convocada por este SINDIPETRO-RN em consonância com o SINDIPETRO-CE/PI e com a Federação Única dos Petroleiros (FUP) e realizada no dia 26/01, no Porto de Guamaré as 08h30, para avaliar a situação das condições de segurança no ATIVO MAR e as medidas emergenciais tomadas pela Empresa conforme acertado em reunião realizada entre a Empresa e o SINDIPETRO-RN.

Na oportunidade, num ato bastante representativo, os trabalhadores e trabalhadoras debateram diversas questões e observaram que a Empresa não tomou providência alguma e, aliás, ainda tentaram operar o malfadado e obsoleto guindaste em que ocorreu o acidente, numa clara demonstração de descaso, falta de respeito e de compromisso com a segurança dos trabalhadores e das instalações.

Considerando que a Empresa se comprometeu em adotar uma serie de medidas emergenciais visando minimizar as condições inseguras e outras questões envolvidas nas operações com guindastes, bem como tomar providências imediatas para dotar as instalações marítimas de condições seguras e atendimento rápido em situações de risco e emergências e que até a presente data nada foi feito, os trabalhadores e trabalhadoras após os debates e protestos aprovaram e reafirmaram por unanimidade, as seguintes reivindicações e resoluções:

1 – Os trabalhadores e trabalhadoras decidiram que somente os profissionais habilitados e contratados para esse fim é que irão fazer operações com guindastes e, dessa maneira, acabar de vez com os desvios de função ainda existentes.

2 – Que a Empresa instale imediatamente uma comissão com a participação dos trabalhadores e trabalhadoras, através do SIINDIPETRO-RN/SINDIPETRO-CE/PI e FUP, visando dar conseqüências as medidas e recomendações mais abaixo explicitadas:

PRAZO PARA EXECUÇÃO:____________________________

a) Recuperar e preparar todos os heliportos das instalações marítimas para operação;

b) Substituir todos os guindastes antigos, obsoletos e sem confiabilidade atualmente em operação do tipo HR e AMÉRICA, por equipamentos modernos e confiáveis.

PRAZO PARA EXECUÇÃO:____________________________

c) Elaborar e implementar com a participação dos trabalhadores e trabalhadoras, um plano de resgate imediato em caso de situações de risco, acidente, emergências, etc, com instalações e equipamentos modernos e adequados tais como UTI AÉREA DEDICADA 24 HORAS NAS PRINCIPAIS INSTALAÇÕES MARÍTIMAS DA UO-RNCE (PUB2, PUB3, PESCADA, PAT3, PXA1 e PCR1) equipadas com equipamento para resgate em locais de difícil acesso e onde não houver heliporto.

PRAZO PARA EXECUÇÃO: ____________________________

d) Elaborar e implementar, com a participação dos trabalhadores e trabalhadoras, um plano geral de transporte aéreo e marítimo para todas as instalações marítimas com barcos, rebocadores e aeronaves modernas e adequadas, substituindo, dessa maneira, as embarcações e aeronaves consideradas obsoletas, sucateadas, precárias e sem estabilidade.

PRAZO PARA EXECUÇÃO: _____________________________

e) Dotar as principais instalações marítimas (PUB2, PUB3 e PESCADA), de todos os recursos necessários e modernos para primeiros socorros com enfermaria, equipamentos, profissionais de saúde e equipe de apoio preparada para situações de risco, emergências e etc.

PRAZO PARA EXECUÇÃO: _____________________________

e) Concluir a instalação de todos os SURFLAND’S em todas as instalações marítimas em caráter de emergência.

PRAZO PARA EXECUÇÃO: _____________________________

f)  Substituir todas as cestinhas por cápsulas adequadas disponíveis no mercado e já em uso a bastante tempo na indústria do petróleo.

PRAZO PARA EXECUÇÃO: _____________________________

g) Implementar um cronograma de manutenção preventiva e corretiva adequado e divulgar para conhecimento dos trabalhadores e trabalhadoras e que contemple todas as instalações, equipamentos de processo, equipamentos de apoio (embarcações, aeronaves, guindastes, etc,) com todas as condições adequadas. Os trabalhadores observaram que  estão sendo utilizadas peças de reposição já usadas e sem condições de uso nas manutenções desses equipamentos e instalações.

PRAZO PARA EXECUÇÃO: _____________________________

h) Rever todo o programa de treinamento de SMS, com a participação dos trabalhadores e trabalhadoras visando implementando cursos com grade de disciplinas adequadas no nível teórico e prático com carga horária suficiente para qualificar todos os trabalhadores e trabalhadoras.

PRAZO PARA EXECUÇÃO: _____________________________

As entidades abaixo signatárias reiteram que as reivindicações dos trabalhadores e trabalhadoras reflete o anseio de toda a categoria lotada na UO-RNCE em resolver essas questões de acordo com o espírito do FORÚM NACIONAL DE PRÁTICAS DE ESMS, mas observa que as decisões precisam ser tomadas rapidamente COM PRAZOS DEVIDAMENTE ESTABELECIDOS para que possamos restabelecer a tranqüilidade e segurança no ambiente de trabalho.

Outrossim, repudiamos a tentativa da gerência do ATIVO MAR de continuar utilizando os guindastes obsoletos e ultrapassados e que poderá a qualquer momento ocasionar mais uma tragédia, e alertamos que já chegou ao nosso conhecimento que um guindaste de outra instalação apresentou o mesmo tipo de problema e, mais, o guindaste da PUB3 apresentou novamente o mesmo problema numa das tentativas de voltar a operar com o mesmo.

Caso a Gerência insista em continuar com esse procedimento, iremos mobilizar os trabalhadores e trabalhadores e tomar as medidas cabíveis junto aos órgãos fiscalizadores.

Cabe ressaltar que essas reivindicações foram deliberadas em assembléia e se somarão as determinações definidas no âmbito da comissão que está apurando o fatídico acidente.

Sendo o que tínhamos a comunicar, ficamos no aguardo das providências requeridas, ao tempo em que despedimo-nos apresentando nossas saudações sindicais.

Atenciosamente,

Márcio de Azevedo Dias
Coordenador Geral do SINDIPETRO-RN
Diretoria Colegiada


Orismar Holanda
Presidente do SINDIPETRO-CE/PI

João A. Moraes
Coordenador Geral da FUP
Diretoria Colegiada

 

 

 

Compartilhar: