Pular para o menu
1518116746
Setor Privado

SINDIPETRO-RN poderá ser representante legal dos trabalhadores da CONTRAX

Entendimentos começaram nesta quarta-feira, 7, e poderão dar início à negociação do ACT

08 de fevereiro de 2018 às 16:05

destaque

Foto: Deivson Mendes

A gerência administrativa da CONTRAX Engenharia procurou a Diretoria do SINDIPETRO-RN em Mossoró, nesta quarta-feira, 7, para discutir uma possível representação de seus trabalhadores. A proposta é que o Acordo Coletivo comece a ser negociado com a categoria até o mês de maio.

Os executivos da prestadora de serviços foram recebidos pelo diretor para Assuntos do Setor Privado e Terceirizado, Manoel Assunção, e pelo delegado sindical Eufrásio Paulino.

Durante a reunião, a direção do Sindicato informou sobre o processo de representação e as diferenças entre Convenção Coletiva e Acordo Coletivo de Trabalho.

“O Acordo Coletivo de Trabalho é firmado entre a entidade sindical dos trabalhadores e uma determinada empresa. Já, a Convenção Coletiva de Trabalho – CCT é um acordo celebrado entre dois sindicatos, ou seja, é um acordo feito entre o sindicato dos trabalhadores e o sindicato patronal”, explicou o dirigente.

Manoel Assunção também informou sobre o processo de sindicalização da categoria e os documentos necessários à representação. “Para consolidação da representação dos trabalhadores é necessário que a empresa esteja dentro das áreas de atividade-fim que regem o estatuto do Sindicato, bem como, que exista interesse da categoria para a sindicalização”.

Na oportunidade, foram solicitados dados administrativos da empresa, funções dos trabalhadores, tabela salarial, plano de saúde e os benefícios que são oferecidos. De acordo com Márcio Meireles, gerente administrativo da CONTRAX, essa documentação será enviada até a sexta-feira, 9.

O gestor destacou que a procura pelo SINDIPETRO-RN se deu por indicação de trabalhadores da empresa Elfe. Perguntado sobre as perspectivas da representação, Márcio respondeu que “são as melhores possíveis e espera que seja satisfatória para empresa e seus trabalhadores”, finalizou.