Pular para o menu
1500046514

SINDIPETRO-RN repudia sentença que condena Lula

14 de julho de 2017 às 12:35

destaque

Foto: Arquivo

NOTA DE REPÚDIO

A Diretoria Colegiada do SINDIPETRO-RN vem a público manifestar profunda indignação e revolta com a absurda sentença proferida pelo juiz de primeira instância, Sérgio Moro, anunciada na última quarta-feira, 12, condenando o ex-presidente Lula a nove anos e meio de prisão.

Sem qualquer prova fática que embase as acusações de corrupção e lavagem de dinheiro, a não ser delações premiadas negociadas com corruptos, ansiosos pela redução de suas penas, a decisão do magistrado culmina um histórico de conduta flagrantemente parcial.

Claro está, para qualquer pessoa minimamente informada, que o processo conduzido pelo “juiz” Moro – se assim ainda se pode chamá-lo, não passa de uma formalidade, uma vez que a condenação de Lula já havia sido antecipada em diversos pronunciamentos.

Atuando em conluio com a mídia oligopolizada, braço ideológico dos conglomerados monopolistas-financeiros e do rentismo, o “juiz” Moro não passa de um funcionário do grande capital a quem foi destinado o papel de promover perseguição política – o chamado “lawfare”, contra uma liderança popular.

Não por acaso, o anúncio da sentença vem logo em seguida a aprovação da nefasta reforma trabalhista encaminhada pelo governo golpista e aprovada por uma maioria de parlamentares envolvidos em centenas de casos de corrupção. É o pagamento àqueles que lhes financiaram a conquista do mandato, ludibriando o povo.

Por se tratar de uma decisão de primeira instância, a sentença que condena Lula ainda deverá ser apreciada por outras esferas da Justiça para ser executada. A Diretoria do SINDIPETRO-RN entende que a condenação de Lula é parte integrante de um projeto em curso que contempla dentre outros itens o ataque à classe trabalhadora e ao Estado brasileiro, bem como reafirma a intenção de prosseguir firme na luta de resistência em defesa da democracia, da soberania e dos direitos do povo brasileiro.

 

Natal (RN), 13 de julho de 2017

A Diretoria Colegiada do SINDIPETRO-RN