Pular para o menu
1504718136

Sistema Petrobrás: Assembleias prosseguem aprovando Aditivo à Pauta e Desconto Assistencial

06 de setembro de 2017 às 14:15

destaque

Foto: Arquivo

Com espírito unitário e grande disposição de luta, trabalhadores e trabalhadoras do Sistema Petrobrás lotados em bases do RN seguem aprovando, de forma massiva, o Termo Aditivo à Pauta de Reivindicações para o Acordo Coletivo de Trabalho – ACT 2017/2019 e a proposta de Desconto Assistencial, no valor de 1%, para financiamento da Campanha Reivindicatória.

O Termo Aditivo sugerido pela FUP/Sindicatos, que vem sendo aprovado por unanimidade, contém salvaguardas a serem inseridas no texto do futuro ACT, com a finalidade de se evitar impactos decorrentes da contrarreforma trabalhista e da lei que libera a terceirização para atividades-fim.

Já, a proposta de Desconto Assistencial, acatada por mais de 96% dos trabalhadores e trabalhadoras consultados, deverá incidir nas remunerações de ativos (salário básico e demais adicionais) e aposentados (Petros e INSS), nos meses de outubro, novembro e dezembro de 2017, sendo 0,5% destinado à FUP e 0,5% para o Sindicato.

Unidade

Além do Termo Aditivo e do Desconto Assistencial, os trabalhadores e trabalhadoras lotados na sede Natal propuseram orientação no sentido de que o SINDIPETRO-RN desenvolva esforços em favor da unidade entre FUP e FNP. E que, caso seja impossível uma ‘mesa única de negociação’, que o Sindicato participe das duas audiências com a Petrobrás, marcadas para o dia 14, como forma de sinalizar simbolicamente que é a favor da unidade na ação.

Para o diretor de base para a sede Natal, Ivis Corsino, mesmo que o Sindicato seja filiado à FUP, não há nenhum problema com a deliberação, que será encaminhada pela entidade. “Em certo sentido, essa proposta reflete o desejo de unidade, o que é natural, uma vez que a categoria petroleira é uma só. Não é de hoje que o SINDIPETRO-RN é favorável à unidade de ação do movimento sindical petroleiro, e busca estabelecer canais de interlocução”, explicou.

Ainda segundo Corsino, os trabalhadores e trabalhadoras da base Natal têm consciência de que o Sindicato não tem autoridade para impor a unidade à FUP, à FNP ou aos demais sindicatos ligados às duas federações. “As entidades têm autonomia e independência em suas esferas de atuação e cabe aos sindicalizados, nas diferentes instâncias de discussão, fazerem o debate político sobre o futuro do movimento”, defende Corsino.

Calendário

No Rio Grande do Norte, o calendário da Assembleia Geral Extraordinária será concluído na próxima terça-feira, 12, e até o fim da manhã desta quarta-feira, 6, haviam sido realizadas sessões deliberativas com o pessoal do Embarque Mar, Canto do Amaro, Base 34 (Mossoró) e sede administrativa de Natal.