Pular para o menu
1378401006
Audiência

Trabalhador cobra indenização por horas-extras e assédio moral

Processo tramita na Segunda Vara do Trabalho de Mossoró e é acompanhado pelo Sindicato

05 de setembro de 2013 às 14:10

Seguiu para a etapa de coleta de depoimentos o processo de um trabalhador que pleiteia na Justiça a reintegração à função de Técnico de Operações, além de indenização da Petrobrás por assédio moral e pelo não pagamento de horas-extras. O prosseguimento da Audiência aconteceu na última terça-feira (3), no TRT, em Mossoró.

Os diretores do SINDIPETRO-RN, Pedro Idalino e Márcio Azevedo, depuseram como testemunhas de defesa e reforçaram as denúncias do reclamante, que alega não ter recebido os valores adicionais e, também, ter sido perseguido por reivindicá-los judicialmente. Por isso, o trabalhador foi orientado a acrescentar o assédio moral às acusações contra a Petrobrás.

Segundo o petroleiro reclamante, logo depois de tomarem conhecimento de sua demanda na justiça, os dirigentes da Companhia o remanejaram, juntamente com outros colegas, em igual situação, para funções administrativas na Base-34. Comprovada por laudo médico, a depressão foi apenas uma das várias consequências oriundas dos prejuízos decorrentes da nova realidade.

Em uma tentativa de acordo, a Petrobrás chegou a propor que o petroleiro voltasse à posição e regime de origem (que exercia há trinta anos), porém, no Amazonas (Urucu). A proposta foi negada, considerando que a decisão de morar naquele Estado culminaria na transferência da família e na segregação, devido à locação da nova função.

O caso está sendo analisado pela juíza do trabalho substituta da Segunda Vara, Nágiala Nogueira Gomes. A Diretoria Colegiada do SINDIPETRO – RN continuará acompanhando o caso para que a justiça seja feita.

Compartilhar: