Pular para o menu
1287677322
ABDM

Trabalhadores continuam prejudicados

O SINDIPETRO/RN decidiu entrar com nova ação, solicitando o bloqueio de bens da ABDM e créditos de outros contratos

21 de outubro de 2010 às 13:08

destaque

Foto: Graziella Sousa

Em audiência pública, realizada no dia 14 de outubro, no Ministério do Trabalho, em Natal, com a participação da ABDM e da Petrobrás, o SINDIPETRO/RN voltou a cobrar providências para resolver a situação dos trabalhadores da terceirizada que atuam na Administração, no Pólo Guamaré e no Alto do Rodrigues, e que estão há três meses sem receber salários e benefícios.

Durante a reunião, a ABDM alegou não poder fazer os pagamentos, em razão de ter tido seus créditos bloqueados pela Petrobrás. Já a companhia revelou que o saldo que a empresa dispunha em caixa foi utilizado para pagar alguns dos débitos trabalhistas da empresa e, mesmo assim, o valor ainda não foi suficiente para sanar o conjunto das dívidas, que somariam um total de R$ 190 mil.

Sendo assim, o SINDIPETRO/RN decidiu entrar como nova ação, solicitando o bloqueio de bens da ABDM e créditos de outros contratos da empresa com o Sistema Petrobrás. Para tanto, o SINDIPETRO/RN receberá da ABDM, cópias dos termos de rescisão dos contratos de trabalho e, da Petrobrás, cópias de todos os termos de rescisão e comprovantes de pagamento efetuados diretamente aos empregados da ABDM, até o dia 25 de outubro.

Opinião - Diante da falta de iniciativa de ambos os lados para sanar a questão, o que se pode concluir é que a Petrobrás não tem a menor responsabilidade sobre as licitações que realiza. Contrata empresas que oferecem quantias muito abaixo do custo médio da prestação do serviço, e que, depois, simplesmente, alegam não ter recursos para pagar aos trabalhadores. Por outro lado, como se sabe, é comum que empresários utilizem nomes de terceiros como proprietários fantasmas de seus bens. E, após driblar a lei, deixam trabalhadores na miséria, enquanto enriquecem ilicitamente.

Assusta não só que a Petrobrás permita este tipo de situação, como também, volte a contratar essas mesmas empresas, ou outras que estão sob suspeição. É ocaso da COOMAP, Cooperativa dos Motoristas Autônomos do Passé que, em breve, deverá fechar contrato. A Cooperativa, que ganhou licitação na Refinaria da Petrobrás, é citada em irregularidades pelo Tribunal de Contas dos Municípios do Estado da Bahia, em que a entidade reprova as contas da Prefeitura Municipal de São Sebastião Passé. Este documento está disponível em qualquer site de pesquisa da internet.

Compartilhar: