Pular para o menu
1490815502

Trabalhadores organizam manifestações e preparam Greve Geral

29 de março de 2017 às 16:25

destaque

Foto: Arquivo

Unir forças com a população para barrar o andamento das reformas trabalhista e previdenciária impostas pelo governo ilegítimo de Temer. Esse é o objetivo da atividade, que acontece na próxima sexta-feira, 31, e que o SINDIPETRO-RN faz chamamento da categoria petroleira do Rio Grande do Norte. Vamos fortalecer a luta junto às centrais, sindicatos e sociedade civil organizada no Dia Nacional de Mobilização, rumo à Greve Geral, que está prevista para acontecer no dia 28 de abril.

Reunidos esta semana, em São Paulo, representantes de todas as centrais sindicais analisaram a grave situação política, social e econômica que o país atravessa e decidiram o dia 28 do próximo mês como a data para realização de uma Greve Geral, onde a sociedade e a classe trabalhadora, de todo Brasil, se unem para mostrar que não aceitarão os ataques aos direitos do povo.

Construindo a Greve

Na próxima sexta-feira, 31 de março, trabalhadores e trabalhadoras de Natal e Mossoró, começam a organizar os passos para a greve do dia 28 de abril. Em Natal, acontecerá uma caminhada, com concentração no Shopping Midway Mall, às 15h, e caminhada pela BR-101 (sentido Zona Sul), no final da tarde, encerrando com grande Ato.

A programação de Mossoró, contará com protestos serão realizados pela Frente Brasil Popular durante todo o dia. Às 8h os petroleiros e petroleiras irão fazer um protesto em frente à Base-34, da Petrobrás. No mesmo horário, servidores municipais e estaduais vão realizar um debate sobre as consequências da reforma da previdência no Hotel Villa Oeste. Já às 10h, todos os manifestante vão se dirigir à Praça Rodolfo Fernandes (Praça do Pax) para realizar um ato unificado. No período da tarde, às 16h, haverá um debate na Câmara Municipal sobre a reforma da previdência nos estados e municípios.  

De acordo com o Coordenador da Frente, em Mossoró, Aldeirton Pereira, os protestos buscam conscientizar a sociedade sobre a retirada de direitos e provocar pressão na classe política. “Quanto maior a pressão sobre os parlamentares e a conscientização e participação dos trabalhadores e da sociedade teremos condições de modificar as propostas ou até mesmo derrotá-las. Ação e mobilização devem, portanto ser constante”, explica o dirigente. 

Na opinião, de José Araújo, Coordenador Geral do SINDIPETRO-RN, os trabalhadores e trabalhadoras do Rio Grande do Norte devem impedir o desmonte da Previdência Pública e a retirada dos direitos trabalhistas, que estavam assegurados pela CLT. “Conclamamos todos os petroleiros e petroleiras do Estado, para, neste dia 31 de março, participar do movimento que antecede a Greve Geral. A categoria petroleira vai demonstrar seu descontentamento, e ajudará a paralisar o Brasil”. 

Compartilhar: